PAC 2 executou R$ 204,4 bilhões, aponta governo

Volume representa 21% do previsto para o período de 2011 a 2014, que é de R$ 955 bilhões

iG São Paulo |

selo

O primeiro ano do PAC 2 contou com a execução de R$ 204,4 bilhões, segundo divulgou o Ministério do Planejamento. O volume representa 21% do previsto para o período de 2011 a 2014, que é de R$ 955 bilhões. O valor total das ações da segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento que estão concluídas é de R$ 142,8 bilhões.

Veja especial do iG sobre cinco anos do PAC

AE
Izabella Teixeira, Gilberto Carvalho, Aloízio Mercadante, Guido Mantega e Miriam Belchior divulgam balanço do PAC 2

Desse total, R$ 127 bilhões foram realizados em 2011, o que representa 17,9% do previsto concluir até 2014 (R$ 708 bilhões). "Os dados demonstram que tanto em sua execução quanto em entregas de obras o PAC 2 segue em bom ritmo", afirmou a nota divulgada pelo ministério à imprensa.

Leia também:
- PAC 2 tem concluídas 11% das obras previstas até 2014
-
PAC 2 tem 69% das obras de Transportes em fase de projeto

Segundo balanço, R$ 75,1 bilhões foram destinados a financiamento habitacional, R$ 60,2 bilhões foram alocados por empresas estatais, R$ 35,3 bilhões pelo setor privado e R$ 20,3 bilhões vieram do Orçamento da União.

Outros R$ 10 bilhões são referentes ao programa Minha Casa, Minha Vida , 2,7 bilhões de reais de financiamento ao setor público e 800 milhões de reais em contrapartidas de Estados e municípios.

Ceará: Operários de obra do Minha Casa, Minha Vida paralisam em Fortaleza

Até 31 de dezembro do ano passado, foram pagos R$ 28 bilhões, um aumento de 27% em relação ao ano anterior e de 284% na comparação com 2007, primeiro ano do PAC 1.

Os recursos empenhados aumentaram de R$ 29,7 bilhões em 2010 para R$ 35,4 bilhões em 2011, uma elevação de 19%. Em relação a 2007, esses recursos cresceram 121%.

Eixos

Segundo o MInistério do Planejamento, o PAC 2 concluiu 628 km de rodovias em todo o País, em 2011. Atualmente, o programa está intervindo em outros 6.860 km, com obras de duplicação ou adequação (2.293km); e de construção e pavimentação (4.567 km). De acordo com o balanço, 14.668 km foram sinalizados.

Nos mais de 53 mil km de malha rodoviária, há 4.081 km sendo restaurados; 29.528 km sendo atendidos por serviços de conservação; e 20.222 km sendo beneficiados com contratos de restauração.

Foram investidos R$ 6,1 bilhões para a conclusão de 628 km em rodovias. Entre elas, o governo destaca as obras de duplicação de trechos da BR-268, em Minas Gerais, da BR-070, em Goiás; e a construção de trechos da BR-158, em Mato Grosso; e da BR-359, em Mato Grosso do Sul.

Também no eixo de transportes, foram concluídas oito obras em portos, com destaque para as de dragagem dos portos de Itajaí e São Francisco do Sul, em Santa Catarina; Suape, em Pernambuco e no Rio de Janeiro.

No eixo MInha Casa Minha Vida, foram contratadas novas moradias para 457 mil famílias. Ao todo, na primeira e segunda etapas do programa, 1,46 milhão de moradias foram contratadas e 719 mil delas, concluídas.

Entre os destaques apresentados pelo ministério, estão a urbanização do bairro São José no Baixo Jaguaribe, em João Pessoa (PB), e a urbanização das margens do Igarapé dos Franceses, em Manaus (AM). Em relação às intervenções em andamento nas capitais e regiões metropolitanas brasileiras, o relatório apresentado pelo governo cita o Complexo do Alemão (RJ), a Vila São José (MG) e Heliópolis (SP).

Leia também: Avanço e abandono coexistem na obra que fez de Dilma 'mãe do PAC'

Segundo o governo, o Financiamento Habitacional (SBPE) contratou R$ 75,1 bilhões em 2011 para aquisição, reforma ou construção de moradias, 39% a mais do que o total registrado no ano anterior. Mais de 472 mil famílias foram beneficiadas. Até 2014, estão previstos R$ 176 bilhões para o setor.

O eixo Cidade Melhor da segunda fase do programa concluiu, em 2011, 215 obras de saneamento no País, além de 13 obras de drenagem de áreas de risco, totalizando R$ 109,4 bilhões em investimentos.

Foram selecionados R$ 9,9 bilhões para empreendimentos de saneamento, incluindo esgotamento sanitário e saneamento integrado, sendo que R$ 6,4 bilhões já foram contratados.

Também em 2011, segundo o governo, o programa selecionou projetos de metrô em Belo Horizonte, Salvador, Curitiba, Porto Alegre e Fortaleza, além do novo sistema de transporte de Recife e região metropolitana. O total de investimentos nesse setor é R$ 11 bilhões.

No que se refere à prevenção em áreas de risco, foram selecionados empreendimentos de drenagem no valor de R$ 4,2 bilhões. Desses, R$ 3,6 bilhões já foram contratados e devem beneficiar 68 municípios em 17 estados. A prioridade, segundo o relatório divulgado pelo governo, serão cidades atingidas por fortes chuvas nos últimos anos, como Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis, no Rio de Janeiro.

Economia: Para especialistas, PAC ainda é insuficiente para alavancar o crescimento

O PAC 2 também destinou R$ 1 bilhão para obras de contenção de encostas. Em 2011, foram selecionados R$ 608,3 milhões para prevenção de deslizamentos. O valor será aplicado em 122 empreendimentos, beneficiando 66 municípios em cinco estados.

Com Agência Estado, Reuters e Agência Brasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG