Oposição se articula para frear 'janela de infidelidade'

Aécio Neves articula para evitar que proposta, embutida na discussão da reforma política, seja aprovada

AE |

selo

Preocupados com o impacto que a eventual aprovação de uma janela de troca partidária possa provocar sobre seus quadros, integrantes da oposição já se preparam para tentar barrar a proposta, embutida na discussão da reforma política. PSDB, DEM e PPS, siglas da oposição ao Planalto, sabem que a permissão de mudança de partido, conhecida como "janela de infidelidade", deverá abrir a porta para que vários de seus quadros partam em direção à base da presidenta Dilma Rousseff , eleita pela aliança entre PT, PMDB, PDT, PCdoB e PSB.

Na condição de coordenador do PSDB para as propostas de reforma política, o senador Aécio Neves (MG) já avisou que o partido se baterá contra o projeto. Aécio opera para impedir, inclusive, que a medida seja sequer discutida dentro da comissão especial que trata da reforma política no Senado.

No entanto, a dificuldade da oposição para barrar o avanço dos debates nesse sentido será muito grande, já que parlamentares de todos os partidos reclamam do engessamento da regra que proibiu a troca de legenda sem razão prevista na legislação eleitoral.

Conforme a lei, só podem mudar de partido os políticos que comprovarem perseguição política, expulsão, mudança radical de rumo programático ou a criação de um novo partido. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: aecio nevesoposiçãoplanaltotroca de partido

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG