Depoimento de ex-diretor da Petrobras, preso na última segunda-feira, está marcado para às 9h30

Agência Brasil

O ex-diretor da Petrobras Renato Duque deixasede da Polícia Federal, em Curitiba, PR
Aniele Nascimento/Gazeta do Povo/Futura Press
O ex-diretor da Petrobras Renato Duque deixasede da Polícia Federal, em Curitiba, PR

O presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), suspendeu, nesta quarta-feira (18), Ato 82 da Mesa Diretora da Casa, de 12 de julho de 2006, para permitir que o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque preste depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, nas dependências da Câmara, amanhã (19), a partir das 9h30.

Duque voltou a ser preso na segunda-feira (16), devido a movimentações de dinheiro no curso das investigações. O depoimento de Duque estava marcado para ocorrer no auditório da Superintendência da Polícia Federal (PF), em Brasília.

O juiz Sérgio Moro, responsável pelo processo pela Operação Lava Jato na primeira instância,  autorizou que a CPI da Petrobras tomasse o depoimento do ex-diretor da Petrobras nesta quinta-feira. O magistrado determinou a apresentação de Renato de Souza Duque, mediante escolta da Polícia Federal, à CPI que investiga desvios de recursos da Petrobras entre os anos 2005 e 2015.

Veja a lista de políticos suspeitos de envolvimento na Operação Lava Jato:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.