Um dia após seu partido ser excluído de reunião, ministro encontrou presidenta e disse que fica no cargo

selo

Depois de se reunir com a presidenta Dilma Rousseff , o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, afirmou que continua no cargo. A expectativa em torno do destino político do ministro devia-se ao veto de Dilma à participação do partido de Lupi, o PDT, na reunião de ontem, com os líderes dos partidos aliados.

O motivo do veto foi a decisão do partido que, apesar de aliado, votou dividido o projeto do governo de reajuste do salário mínimo. "A presidenta me disse que o Ministério do Trabalho é do PDT. E o ministro do Trabalho sou eu. Me chamou para despachar, despachamos. Ela quer o PDT totalmente entrosado e me chamou para ajudar a fazer isso", disse Lupi à Agência Estado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.