Número de eleitores de 16 e 17 anos caiu quase 26%

Brasil vive uma espécie de acomodação democrática, segundo cientista político

Agência Brasil |

Brasília – Desde a última eleição para presidente da República, em 2006, o número de eleitores com 16 e 17 anos de idade caiu 25,65%, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Para o cientista político Valdir Pucci, o Brasil vive uma espécie de acomodação democrática que provoca esse desinteresse dos jovens pela vida política.

“O país vive essa normalidade democrática. Nós vamos ter uma eleição este ano mais burocrática, o que não empolga o jovem. Essa realidade é parecida com a dos lugares onde o voto é facultativo, a eleição não mobiliza a sociedade”, afirma o cientista político.

Além disso, segundo Pucci, o sentimento de descrédito em relação aos candidatos e à situação política do país também causa o desinteresse. “O cidadão brasileiro como um todo tem um descrédito em relação à política, de que não adianta votar porque tudo vai continuar como sempre esteve. E com os jovens não é diferente”, avalia.

Na opinião dele, o que pode causar uma mudança neste cenário daqui a quatro anos é a entrada de novos nomes na briga política ou alguma alteração forte nos rumos do país. “Se não tivermos nenhuma mudança grave no ritmo do país nem surgir um novo nome, a tendência é ficar assim”, destacou o cientista político.

    Leia tudo sobre: Eleiçõesvotojovem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG