Núcleo duro de Marina nega saída do PV esta semana

"Não sei de onde surgiu esta notícia", diz Pedro Ivo, assessor político e ex-coordenador de campanha presidencial

Adriano Ceolin, iG Brasília |

Apesar dos rumores de que deixaria o PV nesta semana, integrantes do núcleo duro de Marina Silva negaram hoje que ela já tomou a decisão. Candidata verde à Presidência da República em 2010 depois de deixar o PT, ela trava uma disputa com dirigentes que controlam a legenda.

“Não sei de onde surgiu esta notícia (de que ela faria um anúncio nesta terça-feira). Marina continua fazendo consultas. Com certeza, nesta semana não ocorrerá nada”, disse Pedro Ivo de Souza Batista, principal assessor político do Instituto Marina Silva (Imas)

Batista foi um dos coordenadores da campanha presidencial do PV em 2010. No Ministério do Meio Ambiente, era assessor especial no gabinete da ministra. No segundo turno, Batista foi um dos integrantes do grupo de Marina que apoiou Dilma Rousseff (PT).

“Marina está no Rio (de Janeiro) nesta segunda-feira”, contou Batista. Ele confirmou que a ex-ministra ainda avalia com o deputado federal Alfredo Sirkis (PV-RJ) a decisão sobre deixar o PV. “Ela vai ouvir muita gente ainda”, afirmou.

Em entrevista ao Poder Online, Sirkis afirmou que vai tentar convencer Marina a ficar no PV .

João Paulo Capobianco, outro ex-coordenador de campanha de Marina, também afirma que Marina ainda está fazendo consultas. “Estava viajando no fim de semana e ainda não falei com ela”, disse. “Provavelmente, só deve ter uma decisão na próxima semana”, completou Capobianco, que foi secretário-executivo do Ministério do Meio Ambiente.

Antes do feriado prolongado, Marina participou de uma palestra na Espanha. Ela voltou de viagem na quarta-feira e não teve tempo para fazer as últimas consultas sobre a saída do PV.

Há cerca de duas semanas, aumentaram os rumores de que Marina já teria decidido a sair do PV. Desde o fim da campanha eleitoral, ela trava uma briga política com o presidente nacional da sigla, José Luiz Penna, e seus aliados.

Após dois mandatos como senadora pelo PT (1995-2010), Marina decidiu deixou o partido para disputar a presidência pelo PV. Ela levou militantes e aliados para sigla para aumentar sua força política na estrutura partidária.

Isso irritou dirigentes que comandam o partido há anos. Em São Paulo, o PV é aliado do PSDB. Em Brasília, setores da sigla flertam com o governo federal. Contudo, a bancada da Câmara fez um bloco com o PPS.

    Leia tudo sobre: Marina SilvaPV

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG