Novo presidente do PT ficará à sombra de Lula

Dirigentes petistas dizem que a condução da legenda esbarra na vivência e influência do ex-presidente à frente do partido

Ricardo Galhardo, enviado a Brasília |

Futura Press
Para dirigentes petistas, viver à sombra de Lula não é um privilégio
O deputado estadual Rui Falcão, indicado pelas correntes majoritárias do PT para ser o próximo presidente do partido, vai enfrentar a sombra do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na condução da legenda.

Segundo dirigentes petistas, a sombra de Lula não é um “privilégio” de Falcão. “Cheguei a falar para o José Eduardo Dutra que ele teria um problema com o término do mandato do Lula. Era evidente já naquela época que com o Lula fora do governo o PT passaria a ter dois presidentes, um de direito e outro de fato”, disse um parlamentar próximo de Lula.

Embora tenha afirmado a diversos interlocutores que não gostaria de se envolver na rotina do partido, Lula tem atuado intensamente na vida partidária. Foi ele quem convocou uma reunião com prefeitos , em São Paulo, para começar a definir a tática petista para as eleições de 2012.

Também foi Lula quem deu o aval para que o partido delibere sobre a volta do ex-tesoureiro Delúbio Soares à legenda. Nos últimos dois dias o ex-presidente orientou cada passo da cúpula partidária na escolha do sucessor de José Eduardo Dutra na presidência do PT. “Na prática o Lula é o presidente, né? Sempre foi”, resumiu o deputado Jilmar Tatto (PT-SP).

    Leia tudo sobre: rui falcãoptlula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG