Novo prefeito interino de Teresópolis: 'Foi a vontade de Deus'

Arlei de Oliveira, presidente da Câmara dos Vereadores de Teresópolis, tomou posse neste domingo após morte de Ricardo Pinto

Vicente Seda, iG Rio de Janeiro |

AE
Parentes, políticos e moradores de Teresópolis acompanham o velório de Roberto Pinto, na Prefeitura
Arlei de Oliveira Rosa (PMDB) não programava, pelo menos por enquanto, disputar uma eleição para prefeito de Teresópolis. Presidente da Câmara de Vereadores da cidade, o cargo "caiu no colo" após o afastamento temporário do prefeito Jorge Mário Sedlacek , enquanto são apuradas denúncias de desvio das verbas para reparar os estragos causados pela chuva no município, e a morte do sucessor interino, Roberto Pinto, que infartou na madrugada deste domingo dois dias após assumir a Prefeitura. Arlei será agora o prefeito interino, a princípio, por 90 dias, prazo estipulado para que as denúncias sejam investigadas. Ele tomou posse neste domingo, em rápida solenidade na Câmara.

Ao iG , Arlei contou que estava em sua casa quando recebeu a notícia. Ele compareceu ao velório de Roberto Pinto, que infartou e faleceu na madrugada deste domingo após ter assumido, também como interino, na última sexta-feira. O primeiro ato de Arlei como prefeito foi decretar luto oficial na cidade por três dias, além de ponto facultativo nos órgãos públicos. Para esta segunda-feira, já convocou uma reunião com os vereadores para nomear os novos secretários, já que o corpo do governo de Sedlacek fora exonerado por Pinto, que chegou a trabalhar na mesa do saguão da Prefeitura.

"Estava em casa e permaneci por lá. Saí apenas para ir ao velório e tomar posse. É uma momento muito complicado. Será um grande sacrifício assumir o cargo, mas foi a vontade de Deus, que colocou isso no meu caminho. Convoquei os vereadores para uma reunião na Câmara nesta segunda-feira, para que possamos nomear os novos secretários", disse Arlei, afirmando que não sabia se disputaria as próximas eleições para a Prefeitura. "Isso é mais uma questão partidária e nada estava definido neste sentido", explicou.

Ele afirmou que conversará com a família de Roberto Pinto neste domingo, mas desconversou quando indagado sobre as denúncias feitas contra o prefeito afastado. "Vamos aguardar o fim da investigação", limitou-se a dizer. "Estive com a família do Roberto no velório, mas tudo estava muito confuso, vamos conversar em breve, em outra oportunidade. Lamento muito o que aconteceu".

Sobre as mudanças que terá de fazer em sua rotina durante o tempo que terá de conduzir a Prefeitura de Teresópolis, Arlei afirmou que certamente estará em uma posição com agenda menos flexível, mas prometeu dedicação. "Como eu disse, tenho de estar pronto para este desafio, foi Deus que colocou tudo isso em meu caminho. Farei o melhor que puder nesse prazo, com muita humildade e honestidade", concluiu.

    Leia tudo sobre: PrefeitoinfartoTeresópolis

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG