Chinaglia diz não ver crise entre governo e base

Novo líder do governo na Câmara considera 'normais' as tensões entre Palácio do Planalto e a coalizão de partidos que apoia Dilma

AE |

selo

O novo líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), disse nesta quarta-feira que não vê crise nas relações entre o governo e a base aliada, e que considera "normais" as tensões entre o Palácio do Planalto e a coalizão de partidos que apoia a presidente Dilma Rousseff no Congresso.

Saiba mais:
- Dilma confirma Arlindo Chinaglia e Eduardo Braga como líderes

- Jucá diz que deixa liderança do governo no Senado sem mágoa
- Vaccarezza anuncia que não é mais líder do governo na Câmara

"Não estou vendo crise, sinceramente. Tensão é normal entre o parlamento e o Executivo, é uma constante", disse Chinaglia, ao deixar a cerimônia de posse do novo ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas .

Planalto: Novo ministro promete acelerar reforma agrária

Chinaglia minimizou as notícias de que a indicação de seu nome para a liderança do governo na Câmara teria causado descontentamento na Casa. "Ontem, no plenário, recebi manifestações até de líderes da oposição, entendendo que eu possa ter um papel adequado. Vou falar com todo o mundo, estou bem tranquilo e as manifestações, até o presente momento, são animadoras", afirmou.

De acordo com o petista "vocês podem encontrar em qualquer partido, a começar pelo PT, alguém insatisfeito". Chinaglia prometeu conversar com todos os líderes para sanar as divergências quanto ao Código Florestal, que tramita na Câmara e admitiu que o assunto exige "cautela maior".

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG