Nova ministra das Mulheres diz que aborto é tema do Congresso

Favorável à descriminalização do aborto na década de 70, Eleonora Menicucci diz que posição pessoal não importa. "Sou governo"

Valor Online |

A recém-indicada ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, evitou nesta terça-feira dar uma posição pessoal quanto à legalização do aborto e disse que o tema cabe ao Congresso.

Leia também: Planalto confirma saída de Iriny da Secretaria das Mulheres

Agência Brasil
A nova ministra, professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) Eleonora Menicucci
Feminista, na década de 1970 Eleonora atuou favoravelmente à descriminalização do aborto, mas hoje preferiu repetir a posição da presidenta Dilma Rousseff . "A minha posição pessoal, a partir de hoje, não diz respeito, não interessa. A partir do momento em que eu aceitei o convite da presidenta, eu sou governo. Descriminalização do aborto é uma matéria que não diz respeito ao Executivo, diz respeito ao Legislativo", acrescentou a nova ministra.

Leia mais: Aborto supera câncer de mama em internações pelo SUS

A temática do abortou foi uma das polêmicas da campanha eleitoral de Dilma em 2010. Na campanha e após ser eleita, Dilma disse que o aborto é uma questão de saúde pública, e que cabe ao Congresso, como representação legítima do povo, posicionar-se sobre o tema.

Segundo Eleonora, há projeto nesse sentido no Congresso, que depende da vontade dos parlamentares para ser aprovado. "Se o projeto sair da gaveta, o governo o acompanhará, e isso é responsabilidade fundamental da sociedade civil", acrescentou. Eleonora vai substituir Iriny Lopes, que deixa a vaga para concorrer à Prefeitura de Vitória (ES) .

    Leia tudo sobre: Eleonora MenicucciDilma RousseffabortoMulheres

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG