'Nossa missão em 2012, em BH, é fortalecer Aécio para 2014', diz tucano

João Leite, presidente do PSDB na capital mineira, diz que apoio a atual prefeito, Marcio Lacerda, passa por ter PSB com Aécio em 2014

Denise Motta, iG Minas Gerais |

A estratégia do PSDB para a sucessão do prefeito da capital mineira, Marcio Lacerda (PSB), será vinculada ao projeto presidencial do senador Aécio Neves (PSDB-MG) para a corrida presidencial, em 2014. A afirmação foi feita ao iG pelo presidente do PSDB de Belo Horizonte, o deputado estadual João Leite.

Segundo ele, se o PSB do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, sinalizar um apoio à Aécio em 2014, o PSDB pode fechar com Lacerda e indicar o vice. O nome mais cotado é o do deputado federal Rodrigo de Castro, filho do secretário de governo de Antonio Anastasia (PSDB), Danilo de Castro.

Divulgação
Aécio Neves, Antonio Anastasia e Márcio Lacerda, durante as eleições de 2010
“"Nossa missão na eleição de 2012, em BH, é fortalecer Aécio para 2014. É importante ressaltar que tudo está subordinado ao entendimento com o senador Aécio. Nosso maior projeto é fazer Aécio presidente, então, aquilo que interessar para este projeto, vamos realizar. Pode ser a candidatura própria ou a aliança. O senador não tratou de nada, mas eu já disse a ele sobre o desejo da militância do partido, de ter candidato próprio. Mas este desejo está subordinado a este projeto, que não é dele (Aécio), é de todos nós. Vamos conversar e avaliar o que é melhor. O PSDB fará o que for conveniente para o Aécio”, destacou Leite. O dirigente tucano também citou como nomes para a disputa o dele próprio e o dos deputados federais Rodrigo de Castro e Eduardo Azeredo (que já foi prefeito e governador).

Em declarações recentes, Aécio foi dúbio sobre o assunto. Apesar de afirmar que sua legenda possui bons nomes para a disputa, ressaltou que a aliança de PT e PSDB, em torno de Lacerda, "é um sucesso". Lacerda segue a linha de defender a reedição da aliança com PT e PSDB e buscou no começo deste mês ajuda do ex-ministro -chefe da Casa Civil, José Dirceu. Depois de um almoço na casa do prefeito, Dirceu destacou ser a administração municipal "ultra bem avaliada" e que é importante destacar que o PT faz parte deste resultado. Mas, no PT mineiro, nem todos pensam assim.

O PT de Minas

Hoje existem três grupos no PT: um a favor da candidatura própria, outro a favor da aliança com o PSB do prefeito Lacerda e um terceiro grupo que defende a manutenção do casamento entre petistas e tucanos, em torno do partido do governador de Pernambuco.

É importante ressaltar que tudo está subordinado ao entendimento com o senador Aécio. Nosso maior projeto é fazer Aécio presidente”

Para o vice-prefeito de Belo Horizonte e presidente do PT municipal, Roberto Carvalho, "se fizermos uma pesquisa na base petista, hoje, teremos 100% a favor da candidatura própria”, emendando que está disposto a encarar o desafio como candidato petista na cabeça-de-chapa.

Defendem a candidatura de Carvalho petistas ligados ao deputado estadual Rogério Correia, líder do bloco de oposição ao governo Antonio Anastasia (PSDB), e também ao deputado federal Padre João. Já os petistas ligados ao ex-ministro de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, defendem a manutenção da aliança com o PSB de Lacerda, mas com exclusão de tucanos. Isso para garantir a sustentação do PSB à reeleição de Dilma Rousseff em 2014. A lógica deste grupo segue a lógica do PSDB municipal, que está atrelando a sucessão municipal de 2012 à sucessão presidencial de 2014. Patrus não se envolve abertamente nas discussões, mas já teria manifestado que não pretende disputar a prefeitura.

Outro grupo do PT é a favor da aliança entre tucanos e petistas em torno do PSB. Este grupo de petistas mineiros é ligado ao ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, antecessor de Lacerda. Pimentel já declarou sua simpatia pela manutenção da dobradinha. Pimentel poderia, com isso, fechar apoio do PSB para a sucessão estadual de 2014 em Minas. Mas Carvalho, que preside o PT de Belo Horizonte, nega a hipótese. “O PT nacional, estadual e municipal já decidiram que não faremos aliança com o PSDB. Agora, é com o Lacerda”, disse. “É uma escolha de Sofia”, completou o vereador Arnaldo Godoy.

Alguns petistas favoráveis à candidatura própria da legenda em Belo Horizonte acreditam que o ultimato do senador Aécio Neves (PSDB) sobre Lacerda já é certo, pois foi o prefeito quem negociou espaço para o PSB no governo Anastasia (a legenda possui duas secretarias, cargos de primeiro escalão). Além disso, outro argumento que reforça a tese de que Lacerda ficará com os tucanos é o fato de que ele promoveu recentemente uma reforma administrativa, concedendo cargos de segundo escalão para pelo menos meia duzia de tucanos. “Em vez de ele se afastar dos tucanos e sinalizar que vai com o PT, ele abriu mais espaço na prefeitura”, comentou uma liderança do PT mineiro. Esta mesma liderança acredita que Lacerda sairá como cabeça-de-chapa com um vice tucano, o deputado federal Rodrigo de Castro.

O presidente estadual do PT, deputado federal Reginaldo Lopes, afirmou ao iG que a discussão sobre a sucessão deve ser feita em torno da avaliação do governo de Lacerda. “Precisamos de alguns acertos programáticos, mas o certo é que o debate deve ser feito em torno da gestão do Marcio. A questão de aliança com o PSDB é secundária”. O petista ainda disse que hoje não há pressupostos para que petistas e tucanos se unam novamente em torno de Lacerda, mas, se os pressupostos existirem, “para o PSDB entrar, a questão deverá ser submetida às instâncias partidárias, pois já há um entendimento de deixar os tucanos de fora.”

PC do B e PMDB

Acompanhando a novela entre Lacerda, os petistas e os tucanos, outros partidos já sinalizaram intenção de disputar o cargo majoritário da eleição 2012 em Belo Horizonte. São eles o PCdoB da deputada federal Jô Moraes, o PMDB do deputado federal Leonardo Quintão, o PHS do deputado federal Eros Biondini, além do PR, do deputado federal Lincoln Portela. O PV tem os nomes do deputado federal Antônio Roberto, do estadual Délio Malheiros e do ex-deputado federal Ronaldo Vasconcellos. Este último foi vice de Pimentel na Prefeitura de Belo Horizonte.

“Sou pré-candidata. Embora seja uma disputa dura, traz dividendos para a chapa de vereadores”, diz Jô Moraes, que disputou contra Lacerda em 2008 e ficou em terceiro lugar. “Há possibilidade de lançarmos candidato, trabalhamos com todas as possibilidades, mas o PR é da base do Lacerda”, indica o deputado Lincoln Portela. Os outros cotados para a disputa não foram encontrados para comentar o assunto.

    Leia tudo sobre: aécio nevesmarcio lacerdadilma rousseff

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG