"No ringue, queriam me arrebentar. Imagina aqui", diz Popó

'Esse ringue aí não tem como, até porque não é um adversário, são vários', afirma deputado e ex-pugilista no dia de sua posse

Ana Paula Leitão, iG Brasília |

Antes de tomar posse, o ex-pugilista Acelino Popó Freitas (PRB-BA) teve que comprar um terno, na semana passada, para fazer sua estreia na Câmara dos Deputados. Apesar da mudança no figurino, ele dizia não estar ansioso para a cerimônia, mas sim para a “batalha” diária que terá de enfrentar agora no plenário – que comparou com sua rotina no ringue.

null“Eu subia tranquilo no ringue, sabia que tinha gente lá para querer me arrebentar, imagine aqui. A ansiedade minha é de começar a trabalhar, é de começar a ver meus projetos andar”.

O deputado disse que, para encarar a nova rotina, precisa se preparar ainda mais. “Esse ringue aí não tem como, até porque não é um adversário, são vários”.

Para preparar sua atuação na Câmara, Popó está cursando o segundo semestre de Direito e promete elaborar projetos em prol do esporte social.

“Quando eu fui para a academia, eu tinha 13 anos, não tinha condições de pagar uma academia. A pessoa deixou eu treinar, e eu me consagrei quatro vezes campeão mundial. Uma pessoa que dormiu no chão até os 23 anos. Então, eu não vim aqui pra ter emprego, eu vim para trabalhar”

Quanto ao seu último convite ao senador Eduardo Suplicy (PT-SP) para disputarem no ringue, Popó brincou: “Eu estou com medo do golpe surpresa que ele tem. Quando ele foi lutador de boxe, foi na década de 60. Pode ser que ele tinha um golpe naquela época que eu não sabia, e ele pode usar esse golpe. Mas se ele tiver queixo de vidro, ele vai cair”, disse o deputado baiano, que prometeu comemorar a posse em um restaurante de comida nordestina em Brasília.

    Leia tudo sobre: possecamara dos deputadosAcelino Popó FreitasPRB

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG