No Amapá, PF prende 7 por suposto desvio de verba pública

Policiais investigam esquema de corrupção envolvendo gestores do primeiro escalão do governo estadual

Agência Estado |

selo

A Polícia Federal (PF) desencadeou na manhã de hoje mais uma etapa da Operação Mãos Limpas que investiga um esquema de corrupção no governo do Amapá. Sete pessoas já foram detidas e pelo menos 20 foram conduzidas à delegacia, segundo a PF. Entre os presos, segundo a PF, estão o secretário de gabinete da prefeitura de Macapá e a ex-secretária de Ação Social e Trabalho da prefeitura Hécia Maria Lúcia Souza. O prefeito da cidade, Carlos Góes, foi um dos suspeitos conduzidos à delegacia, informou a PF.

Estão sendo cumpridos 25 mandados de condução coercitiva, 18 de busca e apreensão e sete de prisão preventiva, sendo seis por ocultar, alterar ou destruir provas e uma por coação e ameaça à testemunha.

A Operação Mãos Limpas foi desencadeada em 10 de setembro no Estado do Amapá com o objetivo de prender uma organização criminosa composta por servidores públicos, agentes políticos e empresários, que praticava desvio de recursos públicos do Estado e da União.

As apurações revelaram indícios de um esquema de desvio de recursos da União que eram repassados à Secretaria de Educação do Estado do Amapá, provenientes do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef).

    Leia tudo sobre: PFamapácorrupção

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG