Negromonte espera convite para Cidades 'de hoje para amanhã'

Deputado do PP baiano afirma que seu nome foi escolhido pelo partido para ocupar Ministério no lugar de Fortes

Adriano Ceolin, iG Brasília |

O deputado Mário Negromonte (PP-BA) afirmou ao iG que espera ser convidado para assumir o Ministério das Cidades entre esta quarta e quinta-feira. O nome dele deve ser encaminhado pelo presidente do PP, senador Francisco Dornelles (RJ), à presidente eleita Dilma Rousseff (PT). “Espero ela (Dilma) me chamar para uma conversa de hoje para amanhã”, disse.

AE
Francisco Dornelles, presidente do PP
Após falar com Negromonte, a reportagem ouviu Dornelles. “Por enquanto, não tem nada decidido”, afirmou o senador ao ser questionado sobre a indicação do deputado baiano para o ministério. O presidente do PP é o responsável pelas negociações com Dilma e o grupo de transição de governo.

Apesar de não ter apoiado Dilma formalmente na campanha eleitoral, o PP dá como certa a manutenção do Ministério das Cidades, pasta que comanda desde 2005. No entanto, a bancada na Câmara quer a substituição do ministro Márcio Fortes. Ele é bem avaliado pelo Palácio do Planalto, mas se desgastou com os deputados nos últimos anos.

Fortes foi indicado pelo então presidente da Câmara e atual prefeito de João Alfredo (PE), Severino Cavalcanti (PE). Recentemente, Severino disse defender a manutenção de Fortes nas Cidades. Nos últimos anos, Dornelles tornou-se o principal padrinho de Fortes no ministério. Ele chegou a lutar por sua permanência no governo Dilma.

Dornelles, no entanto, é pressionado pela bancada da Câmara a indicar um deputado para a pasta. Integrantes do PP ainda temem que ele defenda o nome de Fortes. Ao iG , Negromonte disse que só o nome dele será levado à equipe de transição. “Apenas eu fui indicado pelo partido”, afirmou o ministeriável, que conta com a ajuda do governador baiano Jaques Wagner (PT).

O PMDB ajudou o PP na negociação para preservar as Cidades. Num primeiro momento, os coordenadores da transição, os petistas José Eduardo Cardozo e Antonio Palocci, ofereceram a pasta para os peemedebistas. A fim de preservar a formação de um bloco com o PP na Câmara, o líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN), abriu mão do ministério.

Jantar cancelado
O deputado Waldir Maranhão (PP-MA) havia marcado para esta quarta-feira à noite da bancada na Câmara com a presença de Márcio Fortes. Alguns setores do partido haviam interpretado o encontro como forma do atual ministro em detrimento à indicação de Negromonte para as Cidades. Para evitar problemas, Maranhão anunciou o cancelamento do jantar agora pouco por intermédio da assessoria do seu gabinete na Câmara

    Leia tudo sobre: dilmatransiçãogoverno

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG