'Não podem me empurrar esse bolo', diz Jefferson sobre mensalão

Acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, ex-deputado diz esperar que STF o veja apenas como 'denunciante' do esquema

iG São Paulo |

O ex-deputado Roberto Jefferson (PTB), um dos principais personagens do escândalo do mensalão, afirmou neste sábado que espera se ver livre das acusações que pesam contra ele no Supremo Tribunal Federal (STF). Jefferson responde pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo envolvimento no esquema que resultou na maior crise do governo liderado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva .

Reprodução
Roberto Jefferson disse ver pressões para que seu destino seja o mesmo de José Dirceu no julgamento do mensalão
"Acredito que o STF será capaz de ver que sou denunciante, não mensaleiro. Não podem me empurrar nesse mesmo bolo", escreveu Jefferson no microblog Twitter. A crise do mensalão ganhou corpo em 2005, após Jefferson conceder uma entrevista ao jornal Folha de S. Paulo , acusando a existência do pagamento de mesada a parlamentares, em troca do apoio a projetos de interesse do governo.

No post, Jefferson fazia uma remissão ao seu blog na internet, no qual também faz menções ao processo do mensalão. As mensagens foram motivadas pela decisão do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, de pedir nesta semana a condenação de 36 dos 38 réus no processo .

Jefferson afirmou que há uma pressão para que o Supremo lhe dê o mesmo destino do ex-ministro José Dirceu, descrito pelo Ministério Público como o "chefe da quadrilha" do mensalão. "Posso entrever que o destino dado ao Zé Dirceu será a mim estendido. Isso tem muito mais a ver com o que está fora dos autos do que com o que foi juntado nas milhares de páginas do processo", afirmou.

    Leia tudo sobre: Roberto JeffersonmensalãoSTFRoberto Gurgel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG