'Não existe caça às bruxas', diz Gilberto Carvalho

Em meio a demissões motivadas pela crise nos Transportes, ministro procurou acalmar o PT quanto ao desempenho político de Dilma

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

Agência Brasil
Ministro empenhou-se em tranquilizar o PT em relação à 'faxina' comandada por Dilma
O ministro da secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, tratou de acalmar o PT quanto ao desempenho político da presidenta Dilma Rousseff . Em um seminário promovido pelas correntes que integram a chapa hegemônica do partido, neste domingo em São Paulo, Carvalho disse que a limpeza feita por Dilma no Ministério dos Transportes é um caso isolado, e que a presidenta não está refém das denúncias feitas pela imprensa. “Não existe clima de caça às bruxas”, disse o ministro.

Na véspera, integrantes do grupo majoritário haviam manifestado preocupação quanto ao estilo imposto por Dilma no caso do Ministério dos Transportes, onde mais de 20 pessoas, incluindo o ministro Alfredo Nascimento, foram demitidos por suspeitas de corrupção. Os petistas temem que uma limpeza ética afaste os partidos aliados, prejudique as alianças para as eleições municipais de 2012 e acabem atingindo petistas.

“Tentei dissolver algumas imagens que vão se formando de uma presidenta que não dialoga com o partido e movimentos sociais. Mostrei que ela conversa mais com o Rui Falcão ( presidente do PT ) do que o próprio Lula conversava com outros presidentes do PT”, disse Gilberto.

Aos quase 200 petistas presentes no seminário, o ministro afirmou que a decisão de demitir Nascimento não partiu de Dilma. “Passamos para ele a incumbência de esclarecer as denúncias. O palácio foi surpreendido com a carta de demissão”, afirmou.

Já em relação às denúncias de um esquema de corrupção no Ministério da Agricultura , feitas à revista Veja pelo ex-diretor da Conab, Oscar Jucá neto - irmão do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RO) -, Carvalho afirmou não ter ficado surpreso. “Não posso dizer que foi surpreendente”, disse o ministro.

Segundo ele, apesar de não haver clima de caça às bruxas, Dilma não será cúmplice de novos escândalos. “Todo mundo já sabe que neste governo a única hipótese de não ser investigado é não cometer erros”, afirmou.

    Leia tudo sobre: PTcrise nos TransportesGilberto Carvalho

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG