Mudanças são naturais, diz Carvalho sobre saída de Negromonte

Ministro da Secretaria-Geral da Presidência diz que Planalto considera possível que ministro peça demissão do cargo ainda hoje

Agência Brasil |

Ao comentar a possível saída do ministro das Cidades, Mário Negromonte, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, avaliou hoje que mudanças nas pastas são naturais. “Fomos informados ( da possibilidade de entrega da carta de demissão) apenas pela imprensa. O ministro não entrou em contato conosco. Pode ser que hoje ele entre. De todo modo, entendemos que é natural que haja mudanças nos ministérios”, disse.

Apoio: PP se une para emplacar Aguinaldo Ribeiro no Ministério das Cidades
Leia também: Poder Online antecipou saída de Negromonte na volta da viagem de Dilma

"A presidenta não adiantou, para nenhum de nós, qual é a sua intenção sobre eventuais mudanças. Ela tem feito muita questão de manter essa questão da mudança ministerial aos cuidados dela própria, portanto, não nos é cabido fazer novas especulações sobre o que vem pela frente – salvo essa questão já pública do ministro Mário Negromonte", completou.

AE
Ministro das Cidades deve entregar carta de demissão nos próximos dias

Ao participar do programa Bom Dia, Ministro, produzido pela EBC Serviços em parceria com a Secretaria de Comunicação da Presidência, Carvalho disse ainda que a substituição do ministro, quando confirmada, deverá seguir critérios técnicos aliados a escolhas políticas. "A presidenta tem primado por um rigor muito grande na escolha de seus auxiliares. É evidente que o critério técnico é uma questão fundamental e necessária, o que não significa que exclua o critério político.”

O ministro reforçou que o PP não é tido pelo governo como um partido qualquer, de apoio acidental, mas um parceiro de grande respeito. “É muitíssimo provável que ele continue integrando o ministério da presidenta. Se vai continuar no Ministério das Cidades, não posso adiantar e insisto: essa é uma competência exclusiva da presidenta, mas não está em discussão, de maneira alguma, a nossa relação com o PP.”

Já sobre a relação do governo com o PDT, após a saída do ex-ministro do Trabalho Carlos Lupi, Carvalho disse que o partido é um aliado histórico e que tem um grande valor por seu enraizamento social. “[O assunto] será tratado com todo o respeito. A indicação será da presidenta sempre em consulta com o partido”, disse. Depois da saída de Lupi, assumiu o comando da pasta o secretário executivo, Paulo Roberto Pinto.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG