Mudança em Código Florestal tem apoio de sete partidos

Bancada ruralista rechaçou qualquer proposta que for contra a votação até abril. PT e PSDB devem manifestar posição

AE |

selo

O presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, deputado Moreira Mendes (PPS-RO), afirmou hoje que as bancadas de sete partidos - PMDB, PTB, PR, PP, PSC, PSB e DEM - já definiram o apoio ao substitutivo do deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP) que promove mudanças no Código Florestal Brasileiro. "Meu partido ( PPS ) tem 80% de deputados favoráveis e aguardamos ainda um posicionamento do PSDB e do PT", disse Mendes, em um encontro com produtores e entidades ruralistas em Ribeirão Preto (SP).

Líder do PSDB na Câmara, o deputado Duarte Nogueira (PSDB-SP) disse que a bancada tucana vai se reunir amanhã, às 10 horas, para fechar questão sobre o assunto. Até lá, Nogueira espera ter novas mudanças promovidas por Rebelo no relatório apresentado por ele no final do ano passado.

Durante o encontro, na manhã desta segunda-feira, os deputados ruralistas rechaçaram quaisquer propostas que fossem contra a votação até abril do substitutivo ao projeto de lei 1.876/99, que promove mudanças no Código Florestal, elaborado no ano passado por uma comissão criada na Câmara e relatado por Rebelo. Entre as mudanças, estaria a prorrogação do decreto presidencial que daria até junho o prazo para que os agricultores se adequassem ao Código vigente, ou ainda a votação de um outro substitutivo proposto pelo governo.

"O governo sinaliza com a possibilidade de modificar o decreto em junho e jogar para frente; não caiamos nessa possibilidade", disse Nogueira. "Não aceitamos qualquer outro substitutivo que não seja o do deputado Rebelo", completou Mendes. O deputado de Rondônia avalia que a proposta deverá ser votada em plenário no início de abril. No dia 5, cerca de 20 mil produtores rurais são esperados para uma manifestação em Brasília pela aprovação do projeto relatado por Rebelo.

Presente ao evento, o deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP) defendeu rapidez na votação. Já Mendes Thame (PSDB-SP) disse não temer mudanças de posição entre deputados governistas caso haja alguma determinação do Planalto contrária ao texto de Rebelo. "Com um comando do governo (os deputados governistas) votam de forma cega e com obediência. Não vão fazer isso nesse caso".

Por fim, o deputado de oposição Marcos Montes (DEM-MG) surpreendeu e elogiou a determinação da presidenta Dilma Rousseff , a qual, segundo ele, "tem dado sinais claros de quem quer assumir esse debate e enfrentá-lo".

    Leia tudo sobre: dilma rousseffcódigo florestalbancadas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG