Mudança de líderes adia votação do Código Florestal na Câmara

"A princípio, a votação pode ficar para a semana que vem", disse o líder do PT, deputado Jilmar Tatto

Agência Brasil |

O anúncio da mudança do líder do governo na Câmara provocou o adiamento da votação de projetos prioritários para o governo, como o novo Código Florestal e a Lei Geral da Copa, que estavam previstos para ocorrer esta semana. Marcada para o início da tarde, a reunião de líderes da Casa, que definiria a pauta de votação, foi cancelada pelo presidente Marco Maia (PT-RS) por causa da ausência do líder do governo após a saída do deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) do posto.

Entenda a polêmica em torno do Código Florestal

“Vamos ver como o governo vai se comportar. Em função de não ter líder não tem como sabermos isso”, disse Maia sobre os projetos que poderiam ser votados esta semana. O líder do PT, deputado Jilmar Tatto (SP), declarou que poderá haver uma reunião de líder amanhã (14), mas o mais provável será adiar as votações previstas para esta semana.

Leia também: Dilma confirma Arlindo Chinaglia e Eduardo Braga como líderes

“Pode, eventualmente, ter uma reunião de líderes amanhã ou ele [Marco Maia] decidir a pauta de votações. Mas, a princípio, [a votação] pode ficar para a semana que vem”, disse o petista.

Já o líder do PSDB na Câmara, deputado Bruno Araújo (PE), responsabilizou o Executivo pela demora no votação do Código Florestal e da Lei Geral da Copa. “É claro que o fato de que essa semana não podermos entregar ao Brasil a Lei Geral da Copa e Código Florestal é a comprovação da absoluta incompetência do governo na articulação com a sua base aliada. Uma base que está em crise com o governo por absoluta incompetência do Palácio do Planalto com o Congresso Nacional”, declarou.

Relator do novo Código Florestal, o deputado Paulo Piau (PMDB-MG), também atribuiu ao clima conturbado na Casa o novo adiamento da votação da proposta. “O meu relatório está absolutamente pronto. Se for preciso ler hoje no plenário, está pronto. Os deputados poderão fazer os destaques que acharem necessários. Agora, esse imbróglio político hoje realmente é a razão pela qual o código poderá não ser votado”, lamentou.

Para tentar conter o racha na sua base de sustentação no Congresso, a presidenta Dilma decidiu hoje mudar seus líderes do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), e da Câmara, Cândido Vaccarezza. O senador Eduardo Braga (PMDB-AM) e petista Arlindo Chinaglia (SP) serão os novos líderes.

    Leia tudo sobre: Código FlorestalvotaçãoCâmara

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG