Movimento pró-Marina reage a declarações do presidente do PV

Segundo ala marineira, seguidores de José Luiz Penna tratam como "disputa do poder pelo poder" processo de abertura de diálogo

iG São Paulo |

A briga nos bastidores do PV entre as alas da ex-presidenciável Marina Silva e o presidente da legenda, José Luiz Penna, ganhou um novo capítulo nesta segunda-feira.

AE
A ex-senadora Marina Silva artila a reestruturação do PV
Em nota, o Movimento Transição Democrática, ala do partido ligada à ex-ministra do Meio Ambiente, criticou declarações feitas pelo dirigente nacional durante encontro com internautas em que ele ironiza adversários no partido que reivindicam mudanças no comando da sigla.

No encontro, segundo reportagem publicada nesta segunda-feira pelo jornal “Folha de S.Paulo”, Penna ironizou a disputa aberta por aliados de Marina Silva por mudanças na estrutura do partido.

A crise chegou ao ápice quando Penna, que está no comando do partido desde 1999, obteve apoio da maioria dos diretórios do PV para adiar por mais um ano a Convenção Nacional da legenda – o que garantiu a ele mais um ano no comando.

"Entrou no ônibus e já quer ir para a janela, né?", disse o dirigente, no encontro.

A declaração provocou reações no grupo pró-Marina Silva: “Infelizmente, Penna e seus seguidores tratam como uma mera disputa do poder pelo poder aquilo que deveria ser um processo de diálogo, capitaneado pela própria Direção Nacional do partido, que leve o PV a assumir seu protagonismo transformador na política brasileira”, diz a nota assinada pelo movimento marineiro – que tem à frente lideranças como o deputado Alfredo Sirkis (PV-RJ) e Fernando Gabeira.

Segundo a nota dos dirigentes, Marina representa uma ala formada, além dessas lideranças, por outros cem dirigentes partidários, entre os quais sete presidentes de Diretórios Estaduais e oito deputados federais. A prorrogação do mandato de Penna foi apoiada por 29 votos a 16 na Executiva do PV.

“A opinião pública brasileira precisa ser esclarecida de que, ao convidar Marina Silva para se filiar ao PV em 2009, a própria Executiva Nacional, liderada por Penna, havia decidido previamente que o partido teria uma candidatura própria à Presidência da República, renovaria sua carta programática e reveria sua estrutura partidária”, diz a nota.

Em tom desafiador, a ala marineira diz que “se os atuais dirigentes do partido realmente não têm apego a cargos, não há motivos para não atender a demanda de antecipar a convocação da Convenção Nacional”.

“Hoje, tudo indica que a atual direção tenha efetivamente essa maioria. Essa é a beleza da democracia. Cada um ocupa o lugar que é legitimado pelo processo”.

    Leia tudo sobre: PVrachaMarina SilvaJosé Luiz Penna

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG