Ministros Padilha e Mercadante visitam escolas de samba no Rio

Enquanto Padilha fez piadas de duplo sentido com Mandiocão, Mercadante relacionou incêndio em barracões ao aquecimento global

Agência Estado |

selo

A proximidade do carnaval faz aumentar a frequência de autoridades nas escolas de samba - uma turma sem muita intimidade com o riscado, que acaba "atravessando o samba". Hoje, foi a vez dos ministros da Saúde, Alexandre Padilha, e da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante.

Enquanto Padilha fez piadinhas de duplo sentido com camisinha e Mandiocão, apelido do prefeito de Rio Bonito, José Luiz Alves Antunes, Mercadante levantou a inusitada tese de que o incêndio nos barracões pode ser atribuído ao aquecimento global.

AE
Ministro da Saúde lança campanha "Sem Camisinha Não Dá"

Padilha esteve na quadra do Salgueiro, na Tijuca, zona norte, para lançar a campanha "Sem camisinha não dá", de incentivo ao uso do preservativo durante o carnaval. Acabou saindo do tom ao comentar o trabalho de seringueiros do Acre, que desde 2003 fazem camisinhas para o Ministério da Saúde.

"Fizeram um teste, viu Mandiocão?", disse ao prefeito, presente ao evento. "Eu vi isso lá. A camisinha que a gente produz no Acre resiste cinco vezes mais a todos os testes de pressão (em relação à camisinha importada). Essa camisinha que vocês viram na tevê, o Mandiocão pode usar com tranquilidade", brincou, provocando gargalhadas e gritos de "Viva Chico Mendes" na plateia.

Padilha vestiu a camiseta da escola - que tinha ainda o escudo do Flamengo -, posou com a porta-bandeira, mas esquivou-se de dar uma sambadinha. O clima de oba-oba, com direito à apresentação de passistas mirins, contrastou com o minuto de silêncio pedido pelo ministro em homenagem ao baixista Lenine, do grupo Reginho e Banda Surpresa, morto ontem em acidente com o ônibus que levava os músicos, na Bahia. O grupo gravou o jingle da campanha.

Aquecimento global

Já o ministro da Ciência e Tecnologia fez uma "visita de solidariedade" ao barracão da escola de samba União da Ilha, que no desfile deste ano homenageará o bicentenário do naturalista britânico Charles Darwin, autor das teorias da evolução e da seleção natural. Ilha, Portela e Grande Rio foram as escolas atingidas pelo incêndio na Cidade do Samba, que aconteceu no início do mês.

Ao falar sobre o enredo da Ilha, Mercadante surpreendeu ao relacionar o incêndio ao aquecimento global. "Talvez este incêndio seja um alerta do que representa este aquecimento global, da necessidade que nós temos de nos adaptar, tomar providências para reduzir as emissões e ter outra atitude com a natureza", avaliou. O laudo do Instituto de Criminalística Carlos Éboli sobre o incêndio deve ficar pronto na próxima semana, mas até hoje nenhuma autoridade havia mencionado a tese do aquecimento global como a causa do fogo.

Os dois ministros foram convidados a assistir ao desfile das escolas de samba. Padilha confirmou presença no sambódromo do Rio de Janeiro na segunda-feira. Mercadante prometeu "tentar" comparecer.

    Leia tudo sobre: MinistroAloizio MercadanteAlexandre Padilhacarnaval

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG