Ministros destacam atuação política e carisma de Alencar

Jobim, da Defesa, lembra que passagem do ex-vice pela pasta foi fundamental para tranquilizar o setor militar

iG Brasília |

Ministros da presidenta Dilma Rousseff distribuem hoje declarações e notas de pesar sobre o falecimento do ex-presidente José Alencar . O principal destaque das manifestações cabe ao atual ministro Nelson Jobim, da Defesa, em pasta que já passou pelas mãos de Alencar, quando acumulou a vice-presidência com o ministério, no primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva . Segundo Jobim, a passagem de Alencar pelo ministério foi fundamental para tranquilizar o setor, que se encontrava imerso em uma crise decorrente “da deterioração, à época, da relação civil-militar”.

Jobim disse ainda que “seu esforço apaziguador e sua habilidade política de mineiro prepararam o terreno sobre o qual se alicerçaram as bases para a modernização da nova Defesa do Brasil". Alencar foi ministro da Justiça entre novembro de 2004 e março de 2006. Para Jobim, o ex-vice-presidente foi um “homem público íntegro e confiante no presente e no futuro de seu país”.

Para o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, Alencar foi um homem combativo, um exemplo de determinação, de coragem e que tinha uma vontade enorme de viver. Deixou-nos um legado e eu acho que nunca vamos esquecer a determinação que ele mostrou publicamente”, comentou Cardozo à Agência Brasil, por telefone da Bolívia, onde se encontra para acordos para o combate ao tráfico de drogas.

Grande lutador e companheiro

O ministro da Economia, Guido Mantega, destacou em nota oficial que Alencar foi um "grande lutador". "Um homem que começou simples, conseguiu vencer, se tornou um grande empresário e, quando já poderia gozar a vida, resolveu ajudar a democracia brasileira, o povo brasileiro, entrando na política e trabalhando no governo Lula."

Para Mantega, Alencar "engrandeceu o governo, ajudou o governo nas suas realizações e foi um grande companheiro de todas as horas, que vai ser lembrado por todos nós".

Alexandre Tombini, presidente do Banco Central, diz, por nota, que Alencar "deixa um exemplo de perseverança para a atual e as futuras gerações". Diz ainda que ele "trabalhou com afinco tanto no setor público como na iniciativa privada em prol do desenvolvimento do país".

Empresário amigo dos trabalhadores


O ministro da Ciência e Tecnoloiga, Aloisio Mercadante, classificou Alencar de companheiro e amigo. No governo Lula, Alencar, "teve papel fundamental para que o país avancasse rumo ao progresso econômico com inclusão social". "Empresário, que se tornou amigos dos trabalhadores, José Alencar passa de forma definitiva para a história do Brasil."

Para Edison Lobão, ministro de Minas e Energia, Alencar foi "um grande brasileiro, um cidadão íntegro e uma pessoa humana admirável". "Nos últimos anos, conquistou o coraçãop de todos os brasileiros com a sua luta obstinada pela vida, para que pudesse continuar servindo ao Brasil."

Fernando Pimentel, ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Alencar "nos deixa um legado de trabalho, de ética e, acima de tudo, de compromisso com o Brasil". Pelo twitter, deixou um abraço solidario à familia do ex-vice.

Simples, por isso especial

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, que esteve na Casa Civil durante o governo Lula, afirmou por meio de nota que "Alencar foi um homem simples, por isso mesmo uma pessoa especial". "Um grande companheiro de trabalho que conseguiu levar para o mundo empresarial e para a vida pública os valores que cultivou desde sua origem humilde", diz a nota.

Para ela, Alencar teve atuação fundamental no govenro Lula: "foi co-responsável pelas conquistas desse histórico período".

Em nota oficial, o Ministério da Educação também lamentando a morte do ex-vice-presidente da República. O texto cita que ele foi um defensor da educação pública de qualidade e do fortalecimento da educação profissional como estratégia para o desenvolvimento econômico do Brasil. Fernando Haddad, ministro da Educação, está em Portugal com a comitiva da presidenta Dilma Rousseff e também volta amanhã.

O ministro do Turismo, Pedro Novais, foi outro que lamentou a morte de Alencar. "José Alencar foi um dos políticos mais importantes do Brasil e inestimáveis serviços prestou à nossa pátria.”

Para o ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Luiz Sérgio, José Alencar deu muitos exemplos ao Brasil e aos brasileiros. "Deu exemplo de determinação para superar a infância pobre; exemplo de amor ao País como senador, ministro e vice-presidente da República; e finalmente um grande exemplo de fé durante sua luta incansável pela vida. Que os exemplos desse grande brasileiro sirvam de inspiração para todos nós."

A ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário, disse que o ex-vice será lembrado como um exemplo de força e fé para os brasileiros.

“Menino pobre se transforma num grande empresário, se transforma no vice-presidente da República. Mas acima de tudo se transforma em uma força para todos os brasileiros pela sua fé, pelo seu amor ao Brasil, pela sua defesa da nossa pátria”, disse a ministra. “Esse sentido humano é o que vai estar presente em todos nós ao homenagearmos José Alencar”, comentou.

O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, lamentou a morte de Alencar e destacou, em nota, a perda que representa para a política nacional. “A vida pública brasileira perde um ícone da nossa melhor política, aquela com pê maiúsculo. Empresário e político, ele foi um exemplo de determinação, altivez e coragem”.

* Com Agência Brasil

    Leia tudo sobre: josé alencarpimenteledison lobãomercadantejobim

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG