Alexandre Padilha afirmou que está "bastante confiante" na aprovação hoje pelo plenário do Senado do projeto que cria Fundo Social

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, afirmou que está "bastante confiante" na aprovação hoje pelo plenário do Senado do projeto que cria o Fundo Social do pré-sal e estabelece o novo modelo de exploração do petróleo no País. "Há uma forte mobilização da base, as lideranças são favoráveis à aprovação hoje do Fundo Social junto com o modelo de partilha", disse o ministro, após reunião com a liderança do governo no Senado.

Padilha disse que espera que os senadores aprovem amanhã a proposta de capitalização da Petrobras, mantendo o texto votado pela Câmara. Com isso, a proposta irá imediatamente para sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Apesar do projeto original do governo não ter incluído a área de Previdência como uma das beneficiadas com recurso do Fundo Social, o ministro disse que a proposta feita pelo líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), pode ser aceita pelo Palácio do Planalto. Padilha enfatizou que, além do tema já ter sido tratado na Câmara, Jucá teria percebido junto aos senadores a importância de incluir a Previdência como uma das áreas a serem beneficiadas com os recursos do Fundo Social, por isso, deu sinal verde ao texto elaborado pelo líder governista. "A redação é possível de ser aceita", disse.

Ao ser questionado se o crescimento do PIB no primeiro trimestre fortaleceria o discurso de continuidade do governo, que é o mote da campanha da ex-ministra Dilma Rousseff, Padilha disse que os dados reforçam "o discurso de continuidade desse caminho que costuramos em conjunto".

Padilha refutou que a forte expansão possa ter algum tipo de efeito colateral como a disparada da inflação. "Nosso governo nunca ultrapassou metas de inflação estabelecidas. Vamos continuar tomando medidas para manter a inflação sob controle".

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.