Ministro da CGU propõe fim de contratos com ONGs sem funcionários

Hage, da Controladoria-Geral da União, diz em vídeo ao iG que não faz sentido entidade repassar convênio integralmente a empresas

Severino Motta e Danilo Fariello, iG Brasília |

O ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage, acredita que mesmo que a seleção das Organizações Não-Governamentais (ONGs) seja feita corretamente pelo governo, é preciso acompanhar a subcontratação de empresas pela entidadade.

Leia também: Ministério do Trabalho é alvo de novas denúncias

A ideia do ministro é vedar a subcontratação integral do objeto do convênio porque elas podem estar sendo usadas como intermediária para empresas. "Isso é uma burla, porque se fosse empresa o governo teria de contratar mediante licitação."


Por isso, o ministro entende também que não há cabimento em convênios formados com ONGs sem nenhum empregado, porque ela não poderia executar o trabalho para o qual foi contratada. "Tem sentido algum isso?"

Em entrevista ao iG , Hage também comenta a suspensão de pagamentos a cerca de 3 mil convênios da União com Organizações Não-Governamentais (ONG), alvos de escândalos que ajudaram a derrubar cinco ministros neste primeiro ano de governo de Dilma Rousseff .

Auditores precisam quintuplicar

Diante dos volumosos investimentos públicos que estão por vir por conta da Copa de 2014, da Olimpíada de 2016, entre outros, Hage defente a ampliação do quadro de auditores da CGU para "cinco vezes mais".

O ministro diz que a CGU já atua com um déficit de cerca de 500 auditores e espera que, para o próximo ano, o ministério do Planejamento autorize concursos para aumentar os quadros da casa. "Sem dúvida precisávamos de mais pessoal", diz o ministro.

À frente da CGU desde o governo de Luiz Inácio Lula da Silva , Hage diz que não foi a corrupção que aumentou nos últimos dois governos, mas a apuração dos casos e das denúncias, que se tornou mais efetiva. Antes tudo ficava "debaixo do tapete", diz o ministro.

    Leia tudo sobre: cguhageongcopa 2014corrupçãoinfográfico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG