Com base em relatório da CGU sobre a estatal envolvida em denúncias, Mendes Ribeiro diz que problemas são apenas de gestão

selo

O ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, afirmou hoje que o relatório da Corregedoria-Geral da União (CGU) sobre as irregularidades na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) não aponta para responsabilidades que impliquem em mudanças na direção da empresa. Ele reiterou que os problemas na estatal, relatados pelos auditores da CGU, são apenas de gestão. Esses problemas, disse o ministro, serão corrigidos por meio de um acordo, a ser assinado em trinta dias, que estabelecerá objetivos e metas a serem alcançados pela direção da empresa em 2012.

Promessa: No Senado, Wagner Rossi promete mudanças na Conab

Entenda o caso: Leia mais notícias sobre a crise no Ministério da Agricultura

Problemas serão resolvidos por acordo, diz ministro
Alan Sampaio / iG Brasília
Problemas serão resolvidos por acordo, diz ministro
Segundo Mendes Ribeiro, as mudanças que vierem a ocorrer na direção da Conab serão decorrentes de adequações ao plano de trabalho que será definido pelo Ministério da Agricultura, que realizará acompanhamento mensal dos indicadores de desempenho. Mendes manteve a direção, mas empossou hoje na diretoria financeira da Conab um homem de sua confiança, o juiz aposentado João Carlos Bona Garcia. "Tenho certeza de que os desafios da Conab serão integralmente cumpridos com a participação de Bona Garcia", disse o ministro.

Uma das metas será reduzir o déficit anual da Conab, estimado em R$ 20 milhões. Um das causas do déficit, diz o ministro, é o plano de previdência para os empregados da empresa. Mendes Ribeiro declarou que será realizado levantamento e análise de todos imóveis da empresa, como armazéns, prédios e fazendas. No plano de trabalho firmado pelo Ministério com a Conab estão as recomendações feitas pela CGU, como aperfeiçoar o cadastro de armazéns privados, compradores e vendedores, prestadores de serviços, propriedades rurais, produtores e cooperativas. O programa prevê também a revisão dos leilões de Prêmio de Escoamento de Produto (PEP), a sistemática de remoção de produtos e da contratação de trabalhadores braçais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.