Ministra desmente apoio a Lobão na eleição do Senado

Ideli Salvatti diz que "não tem fundamento suposta intenção de patrocinar candidato a presidente do Senado"

Adriano Ceolin, iG Brasília |

A ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, negou hoje, por meio de nota oficial, o desejo de o Palácio do Planalto interferir na escolha do próximo presidente do Senado. A eleição está marcada para fevereiro de 2013, mas as articulações já começaram 

"Não têm qualquer fundamento as notícias divulgadas nos últimos dias atribuindo ao Executivo Federal uma suposta intenção de patrocinar candidato à presidência do Senado Federal. Tais referências desrespeitam a independência do Poder Legislativo e afrontam às prerrogativas dos senhores parlamentares, a quem caberá, em 2013, de forma soberana e autônoma, escolher os dirigentes das duas casas legislativas", diz a nota à imprensa assina por Ideli.

Conforme antecipou o Poder Online na semana passada, a presidenta Dilma Rousseff gostaria de eleger para a Presidência do Senado o atual ministro de Minas e Energia, Edison Lobão (PMDB-MA), que é senador licenciado. Nesse caso, ficaria excluído da disputa o atual líder do PMDB, Renan Calheiros (AL). Oficialmente, Calheiros diz que não é candidato, mas trabalha nos bastidores para se viabilizar.

Dilma não tem simpatia pela candidatura de Henrique Eduardo Alves (RN), líder do PMDB na Câmara, que tem travado uma luta por cargos e emendas desde início do governo da presidenta, em janeiro de 2011. Alves tem um acordo com o PT, maior bancada da Câmara, para apoiá-lo como candidato a presidente em 2013. Porém, os petistas já cogitam em desfazer o compromisso.

    Leia tudo sobre: Lobão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG