Ministério Público move ação contra prefeito de Lorena

Paulo César Neme (PTB-SP) teria angariado recursos com o Ministério do Turismo para evento já cancelado

iG São Paulo |

O Ministério Público Federal (MPF-SP) ajuizou uma ação de improbidade administrativa contra o prefeito de Lorena, Paulo César Neme (PTB-SP) por suspeita de desvio de recursos do Ministério do Turismo. Segunda a investigação, Neme e mais duas empresas teria desviado verba de um evento que acabou não acontecendo. O prefeito pode perder o cargo, caso seja constatado o desvio e a má aplicação da verba.

Segundo o MP, Neme teria firmado um convênio junto ao Ministério do Turismo para a realização da Feira Regional do Turismo no valor de R$ 140 mil, mesmo sabendo que o evento não aconteceria. Dois meses depois, o prefeito utilizou a verba da feira para pagar as empresas Globo do Brasil Ltda, de Germano Constantino Batista e Bruno César de Santi, e Gustavo Coura Guimarães-ME, de Gustavo Coura, contratadas sem licitação para realizar a Lorenvale, que havia acontecido em junho de 2009.

Em março de 2010, a pasta de Turismo cobrou a prestação de contas do convênio e o prefeito pediu para utilizar os recursos para outra finalidade, mas teve o pedido negado. Ao ter de devolver o dinheiro usado, Neme deixou um prejuízo de R$ 152.837,93 aos cofres do município.

Na ação, o procurador da República Adjame Alexandre Gonçalves de Oliveira pede a condenação de Neme e dos demais acusados, o ressarcimento integral do dano, a perda da função pública, a suspensão dos direitos políticos por um período de 5 a 8 anos, o pagamento de multa e a proibição de que empresas e pessoas físicas sejam contratadas pelo poder público por um período de cinco anos.

    Leia tudo sobre: ministério públicoLorenaprefeitoimprobidade

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG