Procuradoria em Belo Horizonte apresentou nova denúncia à Justiça contra o empresário, pivô da crise do mensalão

selo

Marcos Valério era dono de empresas de publicidade que serviram ao esquema do mensalão
AE
Marcos Valério era dono de empresas de publicidade que serviram ao esquema do mensalão
O Ministério Público Federal (MPF) em Belo Horizonte apresentou nova denúncia à Justiça contra o empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, além de sua mulher, Renilda Maria Santiago Fernandes de Souza. Eles são acusados de usarem a empresa 2S Participações Ltda. para lavar "vários milhões de reais" provenientes do mensalão. Outras dez ações contra Valério por causa do envolvimento com o esquema tramitam na Justiça Federal em Minas.

Leia também:
- Procurador-geral entrega alegações finais do escândalo do mensalão

Segundo a denúncia, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) detectou, entre setembro e novembro de 2005 - ano em que veio à tona o mensalão, cujo processo tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) -, movimentação financeira "atípica" envolvendo Renilda e a S2, com transferências de grandes somas de dinheiro entre contas da mulher de Valério e da empresa em várias instituições bancárias.

Durante as investigações, a Justiça Federal quebrou os sigilos bancários de Renilda e da empresa e os responsáveis pelas investigações constataram que parte dos recursos teve origem em contas usadas para operar o mensalão, em nome das agências de publicidade SMP&B Comunicação e DNA Propaganda, de propriedade de Marcos Valério e outros sócios, também já denunciados à Justiça.

O laudo contábil usado para embasar a denúncia afirma que as "sucessivas" transferências "não apresentam justificativa econômica e financeira para sua realização" e que este tipo de movimentação "é prática normalmente usada quando o objetivo é dificultar o rastreamento de recursos e, assim, impedir a identificação de sua origem primária".

Em depoimento, Renilda afirmou que seu marido era o responsável pela movimentação, mas assumiu que ela também fez transferências entre sua conta pessoal e a da empresa. Segundo o MPF, "os dois denunciados tinham livre acesso à movimentação financeira das contas da 2S Participações". O advogado de Valério e Renilda não foi encontrado na tarde de hoje.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.