'Minas Gerais está em luto por Itamar', diz Anastasia

Governador do Estado diz que ex-presidente e senador tinha 'vocação para a política e para fazer o bem'

iG São Paulo |

O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB-MG), decretou neste sábado luto oficial de sete dias no Estado pela morte do ex-presidente da República e senador Itamar Franco (PPS-MG). Em nota, Anastasia afirmou que Itamar deixará na história de Minas "uma página de serviçõs prestados e a imagem de um homem dedicado, honesto, trabalhador, e sobretudo, sensível às causas sociais, aos mais simples, aos mais pobres".

Segundo Anastasia, a morte de Itamar representa uma perda irreparável não apenas por sua trajetória política, mas principalmente pelo "seu senso político e público". "Um homem que tinha, na realidade, uma vocação inacreditavelmente alta para a política e para fazer o bem. Um homem dedicado, de fato, às grandes causas do seu tempo", afirmou o governador.

Anastasia afirmou que, pessoalmente, perdeu um amigo. "Durante a campanha de 2010 tive a oportunidade raríssima de viajar Minas Gerais toda, lado a lado com Itamar Franco, aprendendo com ele, com seu ensinamento, sua experiência, com a sua maturidade", afirmou. "Aproximei-me muito do Senador sob o ponto de vista pessoal, tive nele um grande conselheiro."

O vice-governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho (PP-MG), também lamentou a morte do "amigo e companheiro" Itamar Franco que, segundo ele, "inscreveu seu nome com letras de ouro na história" do Estado e do Brasil.

Coelho ressaltou a importância de Itamar na criação do Plano Real que "mudou a face do Brasil nos últimos 20 anos". "A vida e a obra de Itamar Franco estarão sempre presentes na galeria de honra dos que contribuíram, com o pensamento e a ação, para a construção da história pátria", concluiu.

Em nota, o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado estadual Dinis Pinheiro (PSDB) disse que Itamar foi um "exemplo" de "retidão no exercício da vida pública" desde sua eleição como prefeito de Juiz de Fora, na década de 1960.

"Itamar Franco marcou a vida política brasileira com seu caráter firme, suas posições claras, sua honestidade e, principalmente, pelo seu profundo amor pela população, pelo Brasil, que deve a ele o Plano Real e os dias de prosperidade que vivemos hoje", afirmou.

Itamar morreu neste sábado aos 81 anos após um acidente vascular na UTI do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. O senador, que havia contraído uma pneumonia grave durante o tratamento contra leucemia ao qual era submetido desde o dia 21 de maio, era divorciado e deixa duas filhas.

De acordo com o hospital, Itamar morreu às 10h15. O corpo será transferido para Juiz de Fora, onde será velado, e depois para Belo Horizonte, onde será cremado - por desejo do ex-presidente. Também ocorrerá uma cerimônia de homenagem no Palácio da Liberdade.

Políticos brasileiros lamentaram a morte de Itamar. O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), deve organizar uma comitiva de parlamentares para acompanhar as cerimônias fúnebres em homenagem ao ex-presidente. A informação foi dada ao iG pelo líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR). Segundo ele, que confirmou presença na comitiva, os parlamentares devem seguir para Minas Gerais no domingo.

Com reportagem de Denise Motta, iG Minas Gerais

    Leia tudo sobre: itamar francoantonio anastasiaminas geraisleucemia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG