Marta se diz ‘ultrajada’ com tentativa de envolvê-la em escândalo

Senadora afirmou que a prisão de seu ex-assessor no Ministério do Turismo não prejudica sua pré-candidatura à Prefeitura

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

A senadora Marta Suplicy (PT-SP) disse estar “ultrajada” com a tentativa de envolvimento de seu nome com as irregularidades no Ministério do Turismo, que comandou entre maio de 2007 e maio de 2008, investigadas na Operação Voucher da Polícia Federal .

AE
A senadora Marta Suplicy (PT-SP) presidiu a sessão no Senado nesta terça-feira
“Não fiquei ligando para o ministério. Não sei o que ocorreu com o Ministério. Me sinto ultrajada por ter sido colocada nessa história”, disse Marta antes de participar de um evento entre pré-candidatos a prefeito de São Paulo, promovido pelo PT na Vila Formosa.

Apesar da indignação, Marta disse que a prisão de seu ex-assessor direto Mário Moysés não prejudica sua pré-candidatura. “Não sei como isso pode me afetar. Fiquei no ministério entre maio de 2007 e maio de 2008 e, nesse período, não teve nenhum problema”, afirmou.

Marta também criticou a forma como a Polícia Federal executou a operação, com uso de algemas e exposição dos presos . “Tem que investigar, tem até que prender, mas tem que ter respeito pela pessoa humana. Fico me perguntando o que estão fazendo com as pessoas contra as quais ainda não tem nada comprovado”, disse.

    Leia tudo sobre: Operação VoucherPFTurismoMarta Suplicy

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG