Marina Silva acerta detalhes para anunciar saída do PV

Ex-senadora, que se transferiu para o partido na última eleição presidencial, marcou para o dia 7 evento em São Paulo

Nara Alves, iG São Paulo |

A ex-senadora Marina Silva decidiu marcar para a quinta-feira da semana que vem, dia 7 de julho, um evento para anunciar sua saída do PV. A decisão foi tomada no início da noite desta terça-feira em reunião com seu grupo político em São Paulo. O anúncio de desfiliação deverá ser feito em evento no escritório político do PV, no bairro Vila Madalena, na zona oeste da capital paulista, onde funcionou a sede da campanha de Marina à Presidência de República em 2010. O grupo também estuda realizar o anúncio em Brasília.

Futura Press
Ex-senadora saiu derrotada da última eleição presidencial e vinha se desentendendo com setores da direção partidária
O agendamento do anúncio ajuda a dar fôlego ao prenúncio da saída da ex-senadora do partido, embora alguns aliados tenham repetido nos últimos dias que a decisão não estaria consumada.

O ex-deputado Fernando Gabeira (RJ) não irá se desfilar da sigla, mas irá se afastar totalmente do grupo rival, liderado pelo deputado José Luiz Penna (SP), presidente nacional do PV. O plano de Gabeira é manter o vínculo partidário para tentar ser candidato à Prefeitura do Rio em 2012.

No Rio, o deputado federal Alfredo Sirkis, um dos últimos verdes históricos, remanescente do pequeno grupo fundador do PV, já pediu o seu afastamento do cargo de presidente do diretório estadual. "Não posso aceitar o tratamento ignóbil que a burocracia partidária do PV, sob o comando da dupla José Luiz Penna ( presidente do PV ) e Zequinha Sarney ( deputado federal, pelo Maranhão ) deu à Marina", disse.

Segundo o presidente do PV paulista, Mauricio Brusadim, que promete seguir Marina na desfiliação, o grupo não planeja fundar um novo partido tão cedo. A ideia, segundo ele, é discutir o movimento e levantar debates com as bandeiras defendidas por Marina Silva durante cerca de um ano. "O PV havia se comprometido a ter candidatura própria à Presidência, à reforma do programa do partido e à reestruturação do partido. Cumpriu as duas primeiras, mas Penna fingiu de conta que a terceira não existia", justificou Brusadim.

Penna afirmou, por meio de sua assessoria, que prefere não se pronunciar sobre a decisão do grupo enquanto Marina não oficializar sua saída. Ontem à noite, no entanto, ao ser abordado pela coluna Poder Online no plenário da Câmara, Penna disse preferir não "polemizar" e afirmou não ter "interesse" na saída de Marina do partido.

Nomes como o ex-secretário Fábio Feldman e o candidato ao Senado Ricardo Young também devem acompanhar a ex-senadora na desfiliação.

Em 2010, Marina conquistou cerca de 20 milhões de votos, ficando atrás do presidenciável tucano José Serra (PSDB-SP). Logo após as eleições, o grupo chamado de "Marineiros" se rebelou contra Penna e iniciou o movimento que resultou no racha dentro do partido.

*Com informações da Agência Estado

    Leia tudo sobre: Marina SilvaPV

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG