Marina cutuca rivais e defende nova mentalidade

Senadora atribuiu a seus concorrentes diretos, Serra e Dilma, os modelos de desenvolvimento do século 19 e 20, respectivamente

iG São Paulo |

Pré-candidata à Presidência da República pelo PV, a senadora Marina Silva atribuiu aos seus dois concorrentes diretos, José Serra (PSDB) e Dilma Roussef (PT), os modelos de desenvolvimento do século 19 e 20, respectivamente. "Eles defendem o modelo de desenvolvimento dos séculos 19 e 20. O Brasil precisa mudar a mentalidade política. As pessoas estão fazendo um cálculo que é só juntar máquinas partidárias e colocar as pessoas para votar. O Brasil não precisa de gerente, precisa de pessoas com visão política, que pensem no processo, que criem estruturas e meios para fazer as coisas." 

Sem deixar o tom de crítica, ela disse que as políticas sociais do governo Lula "valeram a pena", mas que o PT não conseguiu implementar o desenvolvimento sustentável. "As políticas sociais do governo Lula valeram a pena. Mas infelizmente o PT não foi capaz de se integrar a luta pelo desenvolvimento sustentável. As vezes é preciso sair de casa para de alguma forma continuar junto. Eu saí (do PT) porque não foi possível implementar uma visão de desenvolvimento sustentável dentro do governo e o PT ainda não alcançou esse objetivo", disse ela, durante entrevista a uma emissora de rádio de Natal.

Ela voltou a dizer que "jamais" imaginou ver o senador Fernando Collor de Mello no palanque da ex-ministra Dilma. "Eu disse alguns anos atrás que quem viver verá, mas jamais imaginei que pudesse ver isso. A sociedade vai fazer o seu julgamento e sentir que está dando continuidade daquilo que entende ser", destacou.

Marina Silva continua cumprindo agenda hoje na capital potiguar. À tarde ela se reunirá com assessores de campanha e, depois, estará no 20º Encontro Nacional da Associação Nacional dos Órgãos Municipais de Meio Ambiente (Anamma).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG