Marco Maia fecha cerco para ser candidato único na Câmara

Deputado fechará apoio com PR para liquidar chances de candidatura do líder da bancada do partido na Casa, Sandro Mabel (PR-GO)

Adriano Ceolin, iG Brasília |

O deputado Marco Maia (PT-RS) acerta os últimos de detalhes para ser o candidato único à Presidência da Câmara. Nesta terça-feira, fechará apoio com o PR e liquidar as chances de candidatura do líder da bancada do partido na Casa, Sandro Mabel (PR-GO). Julio Delgado (PSB-MG) e Aldo Rebelo (PC do B-SP) já desistiram.

Mabel não esconde mais sua falta de apoios. “Conto com ajuda de Deus”, disse ao iG na tarde desta segunda-feira. Sobre o fato de o seu partido, o PR, apoiar Marco Maia, resigna-se: “Tem que negociar espaços na Mesa Diretora. Acho que o partido está certo. Faz parte da base aliada”.

E o nome do PR para compor a chapa de Marco Maia já está definido. Trata-se do deputado Inocêncio Oliveira (PR-PE). Nesta segunda, inclusive, ele se reuniu com o candidato do PT em Recife. Juntos, participaram de uma audiência com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

Duas vezes presidente da Câmara quando ainda era filiado ao extinto PFL (hoje DEM), Inocêncio é um deputado acostumado a ocupar cargos na Mesa Diretora. Desta vez, irá ficar com a Terceira-Secretaria, responsável pelo controle de passagens aéreas e faltas dos colegas. O posto é uma garantia de troca de apoio do PR à candidatura de Marco Maia.

Um dos coordenadores da campanha de Marco Maia, o deputado Maurício Rands (PT-PE) afirmou que “a fatura está quase liquidada”. “A candidatura está de vento em popa. Fechamos o acordo com o PSB e o PR, que vai indicar o Inocêncio”, disse Rands, que articulou o nome de Maia ainda dentro da disputa interna no PT.

Rands lembrou que, em Pernambuco, apenas o PMDB local ainda não fechou com Maia. “Aqui eles são dissidentes”, afirmou, lembrando que o partido disputou o governo contra Campos por meio da candidatura oposicionista de Jarbas Vasconcellos (PMDB). “Mas são coisas isoladas. O PMDB, em sua maioria, ficará com Maia”, ressalta Eduardo Cunha (PMDB-RJ), deputado influente na bancada.

O encontro com o governador de Pernambuco, Eduardo Campo, também selou de vez o apoio ao PSB a Marco MAia. Isso porque Campos é o presidente nacional da sigla. Mas o candidato do PT previniu-se. Antes de encontrar-se com o pernambucano, fez uma visita ao governador do Ceará, Cid Gomes, que trava uma luta interna com Campos no PSB.

Mabel mantém contatos

Por meio de nota oficial, o PR assumiu publicamente seu apoio a Marco e divulgou o jantar que irá fazer em homenagem ao candidato do PT à Presidência da Câmara nesta terça-feira à noite. Líder da bancada, Sandro Mabel disse que foi convidado para o evento, mas preferiu não participar.

“Tem muita gente que acha que tenho de ser candidato. Por isso eu mantenho as conversações sobre o assunto”, disse Sandro Mabel. Sobre as desistências de Aldo Rebelo e Julio Delgado, afirma: “Se eles acharam que foi bom para eles, tudo bem. Eu prefiro aprofundar um pouco mais a análise (da candidatura à presidente)”.

    Leia tudo sobre: marco maiaeleicaocamara dos deputadosPR

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG