Entidades organizam manifestação em ao menos 22 cidades brasileiras pelo fim do voto secreto e o fim da impunidade

Uma semana depois do arquivamento do pedido de cassação da deputada Jaqueline Roriz , flagrada recebendo dinheiro em um esquema conhecido como "mensalção do DEM", um grupo de entidades organiza para hoje, 7 de setembro, feriado da Independência do Brasil, uma marcha contra a corrupção e a impunidade. Os organizadores esperam reunir cerca de 30 mil manifestantes em Brasília e em outras 21 cidades do País. “Nosso objetivo já foi alcançado, que era ter mais inscrições que a Corrida da Cerveja. Temos 22 mil pessoas confirmadas pelas redes sociais, e acreditamos que mais pessoas irão aparecer na hora”, diz o organizador da marcha, Rodrigo Montezuma.

OAB: pelo fim do voto secreto e pela rapidez nos julgamentos de casos de corrupção
Agência Brasil
OAB: pelo fim do voto secreto e pela rapidez nos julgamentos de casos de corrupção
O movimento conta com o apoio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), além de parlamentares.

Para o presidente da OAB, Ophir Cavalcante, o importante é chamar a atenção para temas de combate à corrupção que ainda geram baixo engajamento popular. Entre esses temas estão o fim do voto secreto no Congresso Nacional, a celeridade no julgamento de casos de corrupção, o fim de emendas parlamentares individuais, a redução de cargos comissionados, a transparência nos gastos públicos e a declaração imediata da constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa, que aguarda julgamento definitivo no Supremo Tribunal Federal (STF).

O senador Pedro Taques (PDT-MT), um dos apoiadores da iniciativa, lembrou que várias das reformas que estão sendo reclamadas pela sociedade já tramitam pelo Congresso, mas que não há interesse político em votá-las. “Nosso grande desafio é descobrir formas de despertar a sociedade para que ela pressione por mudanças”. A ideia é que essas demandas componham uma carta de princípios que deve ser elaborada pelo grupo.

Esse movimento visa a dar cobertura à presidenta. Não é a favor, nem contra, mas achamos que temos que dar força", diz Pedro Simon

Para o senador Pedro Simon (PMDB-RS), esse é o momento ideal para tentar combater a corrupção no Brasil. "Ao contrário dos governos anteriores, onde os fatos aconteciam e os governos não faziam nada, a presidenta Dilma Rousseff foi muito objetiva e clara. Demitiu o chefe da Casa Civil, o ministro do Transporte e está deixando claro que não vai aceitar corrupção no governo. Esse movimento visa a dar cobertura à presidenta. Não é a favor, nem contra, mas achamos que temos que dar força", diz.

No próximo dia 20 de setembro, no Rio de Janeiro, haverá uma nova manifestação envolvendo sociedade e empresários contra a corrupção e a impunidade na Cinelândia, no centro da capital fluminense.

Veja onde acontece a marcha contra a corrupção nesta quarta-feira:

São Paulo (SP): Av. Paulista, Em Frente Ao Masp
Campinas (SP): Centro De Convivência, Na Av. José De Souza Campos
Santos (SP): Praça Da Independência
Matão (SP): Praça Alfredo De Paiva Garcia
Itu (SP): Praça Souza
Brasília (DF): Museu da República
Belém (PA): Av. Presidente Vargas
Marabá (PA): Avenida Antônio Maia
Rio de Janeiro (RJ): Av. Rio Branco
Petrópolis (RJ): Praça Rui Barbosa
Belo Horizonte (MG): Praça da Liberdade
Uberlândia (MG): Praça Tubal Vilela
Goiânia (GO): Praça Cívica
Recife (PE): Praça Rio Branco
Salvador (BA): Câmara dos Vereadores (antiga Prefeitura)
Vitória (ES): Av. Getúlio Vargas
Cuiabá (MT): Praça Alencastro
Campo Grande (MS): Praça Ari Coelho
Porto Alegre (RS): Av. Loureiro da Silva
Curitiba (PR): Praça Santos Andrade
Jaraguá do Sul (SC): Praça Angelo Piazera
Londrina (PR): Calçadão de Londrina

(Com informações da Agência Brasil)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.