Manifestante atira sapato em vereador de Dourados (MS)

Aurélio Bonatto (PDT), indiciado pela PF por suspeita de participação em fraudes, ficou ferido na testa; PM teve que intervir

Celso Bejarano iG Campo Grande |

A polícia teve que intervir hoje para livrar os vereadores da Câmara Municipal de Dourados, em Mato Grosso do Sul, de um tumulto generalizado. A confusão aconteceu durante a primeira sessão após as denúncias de corrupção contra políticos do município.

Nove vereadores haviam sido presos pela Polícia Federal, mas, dentre eles, seis já foram liberados na segunda-feira.

Agência Estado
Manifestante é detido por policias após atirar sapato contra o vereador Aurélio Bonatto (PDT), em Dourados (MS)
O auxiliar administrativo Adailton Castro de Souza, 35, atirou um sapato que atingiu o rosto do vereador Aurélio Bonatto (PDT), um dos três parlamentares que não chegaram a ser presos, mas estão indiciados pela PF no esquema de fraude à licitação, corrupção ativa e formação de quadrilha. Bonatto ficou ferido na testa. Ao ser detido pela Polícia Militar, Souza se disse indignado por não conseguir consulta médica para a filha na rede pública de saúde.“Enquanto não consigo atendimento para minha filha, eles (vereadores) lesam os cofres públicos”, afirmou. 

Cerca de 600 manifestantes, que lotaram o plenário da Câmara, também atiraram moedas aos gritos de protesto contra a corrupção. Um pelotão de 50 homens da PM precisou intervir e tirar os vereadores da reunião, que foi cancelada, com base no artigo 156 do regimento interno, que permite a paralisação dos trabalhos por falta de segurança. Na porta e nas laterais do prédio, dezenas de pessoas se espremiam querendo entrar, mas não havia mais lugar. Nesses locais, também houve tumulto controlado pela polícia e guardas particulares.

* Com informações da Agência Estado

    Leia tudo sobre: Eleições MSdouradoscorrupção

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG