Manifestação e copo quebrado rompem silêncio em velório

Em Belo Horizonte, população prestou última homenagem ao ex-vice-presidente em clima de respeito e organização

Denise Motta, iG Minas, e Nara Alves, enviada especial |

O velório do ex-vice-presidente José Alencar , em Belo Horizonte, transcorreu na maior parte do tempo em absoluto silêncio no salão principal do Palácio da Liberdade, antiga sede do governo mineiro. As únicas vozes ouvidas ao redor do caixão foram as dos organizadores. "Sai, gente! Entra, gente!", orientava a equipe do cerimonial.

A população foi autorizada a entrar no Palácio da Liberdade e orientados a caminhar durante todo o tempo, em um esquema similar ao organizado no Palácio do Planalto, ontem em Brasília. Ninguém conversava, nem mesmo as autoridades e familiares presentes, a não ser ao pé do ouvido.

Denise Motta, iG Minas Gerais
Filiado ao PDT, Péricles Leão disse que o ex-vice o ensinou a fazer política transparente
Dois episódios interromperam o silêncio. Primeiro, a manifestação de um admirador de Alencar. Portando um cartaz, Péricles Leão chamou a atenção dos jornalistas que acompanhavam a cerimônia. Ele afirmou ser filiado ao PDT e disse ter se candidatado a vereador e a deputado estadual por Minas Gerais. "Obrigado, José Alencar, você me ensinou a fazer política transparente", disse, ao ler o texto do cartaz.

Outro incidente ocorreu no momento da entrada dos fotógrafos e cinegrafistas no salão principal, quando uma taça d'água foi derrubada por um garçom. O som da taça caindo no chão ressoou pelo salão, rompendo o silêncio pela segunda vez.

    Leia tudo sobre: josé alencarmortevelório

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG