Maioria dos ministérios não tem secretários executivos definidos

37 pastas não têm secretários; briga por cargos no segundo escalão adia confirmação de nomes

Agência Brasil |

Menos da metade dos 37 ministérios do governo da presidenta Dilma Rousseff tem secretários executivos definidos oficialmente. Mas a confirmação de nomes para as demais pastas pode esbarrar na briga por cargos no segundo escalão, que tiveram as indicações suspensas até segunda ordem.

Treze ministérios já têm secretários executivos nomeados no Diário Oficial da União. Em pelos menos mais dois as escolhas estão definidas, mas ainda não foram oficializadas. Em geral, os perfis escolhidos para as secretarias executivas são técnicos, principalmente em ministérios que estão sob o comando de indicações políticas.

Entre os nomeados, estão Iraneth Monteiro, secretária executiva do Ministério do Planejamento, Cezar Alvarez, para o Ministério das Comunicações, Márcia Aparecida Amaral, para o Ministério da Saúde e Ruy Nogueira, que assumiu a secretaria-geral do Ministério das Relações Exteriores.

Luiz Paulo Barreto, que era secretário executivo do ex-ministro da Justiça, Tarso Genro, e assumiu o comando da pasta em 2010, agora volta à secretaria na gestão de José Eduardo Cardozo. O mesmo ocorreu com Márcio Zimmerman, no Ministério de Minas e Energia, e Carlos Eduardo Gabas, na Previdência Social. No Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, ex-secretário de Política Econômica, assume a secretaria executiva.

Também tiveram as indicações oficializadas os secretários executivos da Casa Civil, Beto Vasconcelos, da Secretaria-Geral da Presidência da República, Rogério Sotilli, da Comunicação Social, Yole Mendonça, e do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Alessandro Teixeira.

Algumas secretarias executivas têm nomes confirmados, mas ainda não nomeados, como a do Ministério da Cultura, que ficará com Vitor Ortiz, e a do Meio Ambiente, que será assumida por Francisco Gaetani.

Entre os ministérios que não tiveram troca de comando, Henrique Paim será mantido na secretaria executiva do Ministério da Educação, e não há, por enquanto, mudanças previstas nas secretarias executivas dos ministérios da Agricultura, ocupada por Gerardo Fontelles, e na do Esporte, onde atualmente está Waldemar Souza.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG