Magé, na Baixada Fluminense, terá nova eleição para prefeito

Eleitores voltam às urnas dia 17 de julho devido à cassação dos candidatos eleitos em 2008, Núbia Cozzolino e Rozan Gomes

iG Rio de Janeiro |

Após a cassação da prefeita Núbia Cozzolino (PMDB) e posteriormente de seu vice, Rozan Gomes da Silva (PSL) - em 2009 -, eleitores de Magé terão de voltar às urnas dia 17 de julho para eleger um novo comando para a cidade.

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ), os partidos devem realizar convenções para a escolha dos candidatos de terça-feira (14) a quinta-feira (16). O registro das candidaturas deverá ser feito até 19h do dia 17 de junho, na 110ª Zona Eleitoral.

Núbia Cozzolino (PMDB)  e Rozan Gomes da Silva (PSL), eleitos em 2008, estão impedidos pela Justiça eleitoral de participarem da disputa.

Segundo a juíza Ana Tereza Basílio, a eleição será possível - conforme pedido do Ministério Público Eleitoral - porque a cassação da prefeita Núbia Cozzolino e seu vice, Rosan Gomes da Silva, aconteceu no primeiro biênio dos mandatos.

Entenda o caso

Núbia foi afastada da prefeitura de Magé em 2009 a pedido do Ministério Público, que a denunciou por formação de quadrilha e desvio de dinheiro. No mês seguinte a seu afastamento, ela foi presa acusada de vender combustível adulterado .

A cassação de seu mandato veio na sequência, por abuso de poder e uso indevido de meios de comunicação na campanha de 2008. A decisão final que a considerou inelegível e confirmou a perda de seus direitos políticos foi anunciada em 2010.

O vice-prefeito Rozan Gomes (PR), que assumiu a prefeitura após o afastamento de Núbia, também foi cassado. O presidente da Câmara, Anderson Cozzolino (PMDB), o Dinho, irmão de Núbia, assumiu desde então como prefeito interino da cidade.

    Leia tudo sobre: eleiçãomagénubia cozzolinorozan gomes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG