Mabel lança candidatura à presidência da Câmara

Deputado goiano desafia favorito Marco Maia (PT-RS) sem ter sequer o apoio do seu partido, o PR

AE |

selo

O deputado Sandro Mabel (PR-GO) lançou nesta manhã sua candidatura à presidência da Câmara, inviabilizando a estratégia do governo de assegurar a candidatura única do petista Marco Maia (RS) ao comando da Casa. Em entrevista coletiva convocada às pressas, Mabel prometeu apresentar amanhã suas propostas e plano de trabalho para a instituição.

AE
O deputado Sandro Mabel (PR-GO), candidato à presidência da Câmara
Com o discurso de que pretende trabalhar pela "independência da Câmara" e de que é preciso haver debate sobre a sucessão na Casa - já que Maia, até o momento, era o único postulante ao cargo -, Mabel lança-se na empreitada sem o apoio sequer de seu partido.

Na semana passada, o PR formalizou o apoio à candidatura de Marco Maia num jantar organizado pelo deputado Valdemar Costa Neto (PR), uma das lideranças da legenda. Para viabilizar a candidatura, Mabel passou a liderança da bancada ao deputado Lincoln Portela (MG).

Mesmo sem o aval do PR, Mabel afirma contar com o apoio de 130 parlamentares. Ele negou que esteja se lançando candidato para afrontar o Palácio do Planalto.

Entre os governistas, os rumores são de que a motivação de Mabel seria a insatisfação com a falta de garantias do governo de que ele seria mantido no cargo de relator da reforma tributária, que deve ser retomada no Congresso. 

"Nada muda"

O deputado Odair Cunha (PT-MG), um dos coordenadores da campanha de Marco Maia à presidência da Câmara, não vê ameaça ao favoritismo do petista no lançamento da candidatura avulsa de Sandro Mabel. Ele afirmou que não haverá mudanças na campanha e acrescentou que amanhã o PV formalizará apoio ao petista. 

"Vamos manter nossa tática de campanha. Não haverá mudança pelo fato de haver outro candidato. Continuamos buscando o apoio de outros partidos e parlamentares", afirmou. Cunha lembrou que hoje Maia encontra-se em Belo Horizonte, num almoço de apoio da bancada mineira, que contabiliza 53 parlamentares.

Além dos dez partidos que já formalizaram apoio à candidatura de Maia, o PV - que elegeu 15 deputados - oficializa amanhã sua adesão à campanha petista, adiantou o deputado Fabinho Ramalho (PV-MG).

Com isso, Maia contabiliza o apoio das maiores bancadas da Câmara (PT, PMDB, PSDB, PP, PR, PDT e PSB) e do Palácio do Planalto. O petista ainda busca o apoio do PTB, que segue neutro na campanha. O PSOL não deve apoiar nenhum candidato. Para vencer o páreo ainda no primeiro turno, Maia precisa obter 257 votos.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG