Lula ressalta que Ideb cresceu acima do esperado pelo governo

Índice, que mede a qualidade do ensino público no país, teve 84,9% das cidades com meta atingida. Em 2009, resultado foi de 50,2%

Agência Brasil |

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva destacou hoje (5) os números da educação no país e lembrou que o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) cresceu no ano passado acima da expectativa do governo.

“O Ideb subiu para 4,6 em 2009. Nossa proposta para o período era de 4,2, portanto, nós ultrapassamos em muito a meta”, disse durante o programa Café com Presidente.

Lula disse que a educação no país está mudando e citou como exemplo o Programa Universidade Para Todos (ProUni). “Conseguimos, por meio do ProUni, formar mais de 425 jovens em medicina, que vão prestar um serviço extraordinário, tentando aperfeiçoar e melhorar o atendimento à saúde no nosso país”, disse. “É mais gente entrando na universidade, mais gente tendo a escola e cada vez de melhor qualidade”, completou.

O presidente Lula está em viagem pela África onde participa, no fim de semana, da cerimônia de encerramento da Copa do Mundo 2010.

Pesquisa
Dos 5.404 municípios avaliados pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), 84,9% atingiram as metas estabelecidas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) no ano passado, levando em conta as séries iniciais do ensino fundamental das escolas da rede pública.

O Ideb foi criado em 2005 para medir a qualidade do ensino público no país e é calculado a cada dois anos, levando em conta as notas da Prova Brasil e os índices de reprovação. O Inep estabeleceu metas de qualidade que devem ser atingidas pelo país, pelos estados, municípios e pelas escolas. O objetivo é que a média nacional chegue a 6 em 2021.

Em 2009, 50,2% das cidades ficaram acima da média nacional, que foi de 4,6 pontos, em uma escala de 0 a 10. Na avaliação anterior, em 2007, 47% dos municípios conseguiram superar a média, que era de 4,2 pontos.

O pior resultado da avaliação realizada no ano passado foi registrado pelo município de Apuarema, com nota 0,5. A cidade fica no sul da Bahia, a 320 quilômetros de Salvador. Procurada pela Agência Brasil, a secretária de Educação do município, Zaira dos Santos, mostrou-se surpresa com o resultado, mas não quis comentar os motivos do baixo desempenho.

A nota mais alta foi no município paulista de Cajuru, no nordeste do estado, a 360 quilômetros da capital. Lá, a média das notas das escolas da rede pública ficou em 8,6.

Dos 11 municípios com as piores notas nas séries iniciais do ensino fundamental, seis estão na Bahia, dois no Piauí, dois na Paraíba e um no Pará. Dos 13 municípios com as notas mais altas, sete estão em São Paulo, cinco em Minas Gerais e um no Rio Grande do Sul.

Para o presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Carlos Eduardo Sanches, a melhora nos resultados, especialmente nas séries iniciais, é reflexo de fatores como o estímulo à frequência na educação infantil, com maior investimentos, e a implantação do ensino fundamental de nove anos, que aumenta o tempo para a alfabetização, garantindo melhor desempenho na trajetória escolar.

Segundo ele, as regiões com melhor desempenho no Ideb são aquelas que contam com uma boa infraestrutura de prédios, biblioteca e acesso à internet, além de melhores salários e carreira adequada. “Quando há esses insumos, é possível colher resultados melhores. Há uma relação direta entre padrão mínimo de qualidade e resultado do Ideb. Isso está comprovado pela terceira vez”, avalia o dirigente.

Piores notas:

Município Ideb 2009

Apuarema (BA) 0,5

Chaves (PA) 1,4

Pedro Alexandre (BA) 2,0

Nilo Peçanha (BA) 2,1

Manoel Vitorino (BA) 2,1

Duas Estradas (PB) 2,2

Santa Inês (PB) 2,2

São Félix do Piauí (PI) 2,2

Dario Meira (BA) 2,2

Pilão Arcado (BA) 2,2

Bonfim do Piauí (PI) 2,2

Melhores Notas:

Município Ideb 2009

Cajuru (SP) 8,6

Claraval (MG) 8,2

Neves Paulista (SP) 8,1

Fernão (SP) 8,0

Itajobi (SP) 7,5

Rubinéia (SP) 7,5

Cândido Rodrigues (SP) 7,5

José Raydan (MG) 7,5

Soledade de Minas (MG) 7,4

Marapoama (SP) 7,3

Pedra do Indaiá (MG) 7,3

Dois Lajeados (RS) 7,3

Gonçalves (MG) 7,3

Fonte: Ranking baseado em dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep)

    Leia tudo sobre: Idebeducação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG