Lula repudia comparações entre ele e Dilma

"Só não estou no governo, mas eu sou governo tanto quanto outro companheiro que está lá", discursou ex-presidente, na festa do PT

Andréia Sadi, iG Brasília |

Quarenta dias depois de deixar a Presidência, Luiz Inácio Lula da Silva discursou hoje, pela primeira vez, como presidente de honra do PT, na festa de 31 anos do partido.

Em sua fala, Lula subiu o tom e repudiou as comparações entre o seu governo e o da sua sucessora, Dilma Rousseff .

AE
Ao lado de Lula e Marisa Letícia, Dilma assopra velas no aniversário do PT
"Eu só não estou no governo, mas eu sou governo tanto quanto outro companheiro que está lá. O sucesso da Dilma é o meu sucesso, o fracasso da Dilma é o meu fracasso", discursou Lula, sob muitos aplausos.

nullNo começo de sua fala, Lula brincou que, ao deixar o cargo, sentiu-se como um "cachorro quando cai da mudança" e arrancou risos da plateia ao dizer que o discurso que preparou "não cabia".

Na Presidência, Lula ficou famoso por improvisar suas falas em aparições públicas.

Lula discursou após o presidente do PT, José Eduardo Dutra, que já havia ironizado as comparações entre os governos. "Tentam criar uma dicotomia entre governo Lula e Dilma, como se fosse possível, como se fosse crível", afirmou Dutra.

Dilma, que esteve em São Paulo pela manhã , chegou à festa, mas não discursou. Em sua fala, Lula teceu elogios à ex-ministra da Casa Civil no discurso e disse que está reservado a ela a possibilidade de provar que a "mulher é tão ou mais competente que o homem".

Lula prometeu também que será ativo na política do PT. "Aqui não tem aposentadoria".

O discurso do ex-presidente durou cerca de 30 minutos. No final, ele contou que foi visitar o vice-presidente José Alencar, na última segunda-feira, e voltou a se emocionar o falar do colega. " Amanhã vou passar lá para visitá-lo", disse.

O ex-presidente foi recebido no Teatro dos Bancários, onde acontece o encontro, aos gritos de "olê, olê, olê, olá, Lulá, Lulá". Chegou acompanhado da ex-primeira-dama Marisa Letícia, que, como ele, eram os únicos vestidos de vermelho, a cor oficial do partido.

No palco onde fez o discurso estavam, além da ex-primeira-dama, José Eduardo Dutra, os ex-presidentes do partido, o ex-ministro José Dirceu e o ex-deputado José Genoíno.

nullAmbos figuram como réus do processo do mensalão, escândalo que desgastou o partido em 2005, no final do primeiro mandato de Lula.

Ao chegar ao evento, José Dirceu afirmou aos jornalistas que a fase de escândalos do partido ainda precisa ser superada. "Precisamos fazer a reforma política, a reforma do estatuto do PT, e precisa ter o julgamento (do mensalão). Eu quero ser julgado, vai fazer quatro anos, em agosto, que a denúncia foi aceita. Não quero que prescreva. Quero ser julgado, eu confio na justiça", concluiu.

O governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, é o único dirigente de partido aliado ao governo Dilma presente no evento.

*Com informações da Agência Estado

    Leia tudo sobre: festa do PTLulaDilma Rousseff

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG