Lula quer parceria com África do Sul para construir aviões

Em viagem à África, presidente falou sobre o interesse na construção de aviões militares em parceria com governo sul-africano

Agência Brasil |

O governo brasileiro encerrou neste sábado a viagem de oito dias por seis países africanos. Entre os pontos de destaque da visita estão dois termos de cooperação firmados ontem com a África do Sul. Os acordos de troca de informações governamentais compõem, segundo o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os termos de colaboração mais profundos já assinados pelos dois países.

O presidente disse, entretanto, que espera estreitar ainda mais as relações com a África do Sul. Em entrevista coletiva concedida depois de encontro com o presidente sul-africano, Jacob Zuma, Lula informou que pretende transferir para a África do Sul tecnologia brasileira em agricultura e a da TV digital. Há também interesse em firmar parceira com o governo sul-africano para construção de aviões militares.

Agência Brasil
Lula e o presidente da África do Sul, Jacob Zuma, na sede do governo sul-africano
“Nós queremos que o presidente Zuma junte-se ao Brasil na construção do avião KC 139, que é o novo Hércules”, disse o presidente, sobre o projeto de um novo avião militar desenvolvido pelo Exército brasileiro. Segundo ele, o primeiro dos novos aviões deve estar pronto em 2015.

Lula disse ainda que a tecnologia de aviões capazes de voar sem tripulação interessa ao Brasil. De acordo com o presidente, a descoberta de poços de petróleo na camada pré-sal torna a proteção das fronteiras brasileiras ainda mais importante.

“Estamos de olho nos aviões e veículos não tripulados que a África do Sul produz”, disse ele. “Nós temos muita fronteira marítima, fronteira seca, temos o pré-sal a 300 quilômetros da nossa costa. Se a gente não tomar cuidado, é capaz de alguém querer ir lá.”

Lula reiterou o interesse em aproximar mais o Brasil da África e afirmou que é o presidente brasileiro que mais visitou países africanos – 27 no total.

As trocas comerciais também aumentaram durante seu governo. Passaram de US$ 5 bilhões para US$ 26 bilhões de 2003 para 2009. E, segundo o presidente, ainda podem aumentar mais.

Durante encontro com empresários brasileiros e sul-africanos, em Joanesburgo, Lula disse que tem dois compromissos pessoais para cumprir até o fim do mandato: o primeiro, organizar mais duas reuniões entre representantes de companhias dos dois países; e o segundo, fazer com que companhias aéreas brasileiras ofereçam voos para África.

“É uma vergonha um país com 190 milhões de habitantes não ter uma empresa de aviação comprometida em ter voos para a África do Sul e outros países da África”, disse Lula. "Se não garantirmos o direito dos empresários de ver coisas novas, não teremos novidades no país."

No mesmo evento, Zuma agradeceu o esforço do governo brasileiro para estreitar relações com o Continente Africano. Ele destacou que a cooperação na aviação é estratégica para a África do Sul, assim como nas áreas de educação, saúde e energia. “As parcerias são pontos-chave para que alcancemos nossos objetivos”, disse o presidente sul-africano, em discurso para empresários.

Lula embarcou em Joanesburgo, na África do Sul, com destino ao Brasil nesta manhã e deixou o país-sede da Copa do Mundo sem reunir-se com o presidente da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Joseph Blatter.

    Leia tudo sobre: lulaáfrica do sul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG