Lula nega intenção de assumir cargo em entidades internacionais

Após deixar mandato, presidente disse que quer viajar por países mais pobres que o Brasil para levar a experiência de seu governo

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

Durante encontro com o primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi em São Paulo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva descartou a possibilidade de exercer cargo em alguma entidade internacional depois que deixar o Palácio do Planalto. Segundo ele, esses cargos devem ser exercidos por burocratas, não por políticos.

Lula manifestou a intenção de viajar por países mais pobres que o Brasil para levar a experiência acumulada em seu governo. Porém, segundo o presidente, essa tarefa seria feita "com muita delicadeza, com muito cuidado", para não parecer alguma forma de ingerência sobre esses países. “Primeiro, não é todo mundo que está precisando de conselho. Segundo, porque tem gente que não aceita conselho”, disse.

Em artigo publicado no jornal britânico Financial Times ontem, Lula disse que pretendia realizar ações em países da América Latina, do Caribe e da África. “O Brasil adquiriu um acúmulo muito grande de política social. Tenho interesse em dedicar parte do meu tempo para trocar ideias sobre a experiência do Brasil”, afirmou o presidente.

Segundo Lula, um cargo como a Secretaria Geral da ONU não pode ser exercido por um político. "O secretário-geral da ONU é um empregado dos países. Imagine se entrar um ex-presidente dos Estados Unidos na ONU? Nesses lugares, tem que ter um bom burocrata”.


    Leia tudo sobre: berlusconionululafinancial times

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG