Lula: 'família é tão importante quanto cuidar da economia'

O presidente lembrou como foi importante sua estrutura familiar, o cuidado da mãe que, mesmo analfabeta, era sábia

Agência Brasil |

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira que cuidar da família é tão importante quanto cuidar da economia do País. “A desestruturação familiar foi um dos graves problemas dos últimos tempos que, agora, o governo tem tentado reverter”, disse ele, ao participar da abertura do Seminário Latino-Americano de Acolhimento Familiar.

Segundo Lula, o Estado tem criado cada vez mais condições para ajudar as famílias na educação dos filhos. Ele disse que sempre pede ao ministro da Educação, Fernando Haddad, para investir no reforço escolar, tomar medidas de amparo à criança e ao adolescente para evitar que eles se envolvam com drogas, principalmente o crack.

De acordo com especialistas, no Brasil, 8 milhões de pessoas que foram abandonadas ou retiradas das famílias de origem enfrentam sentimentos como medo, insegurança, baixa autoestima e falta de afetividade. Reunindo 600 representantes de instituições de proteção à criança e ao adolescente de 19 países, o seminário aberto hoje discutirá durante três dias maneiras de protegê-los e de amenizar as sequelas do abandono.

O presidente lembrou como foi importante para ele a estrutura familiar, o cuidado da mãe que, mesmo analfabeta, era sábia na transmissão de valores aos oito filhos. “Em casa onde pai e mãe brigam, onde há violência, a criança não quer ficar. Prefere tornar-se moradora de rua”, afirmou.

Lula ressaltou que, durante muito tempo, o Estado cometeu um grave erro: tentar recuperar a criança, quando, na maioria das vezes, o problema está nos pais. E lançou uma pergunta aos participantes do seminário: “Quantas vezes por mês você se senta com seu filho para simplesmente ouvi-lo, saber de seus problemas?”

Antes de abrir o seminário, Lula participou da inauguração do Marco de Proteção de Crianças e Adolescentes da Tríplice Fronteira, um grande paredão onde o grafite é usado como arte. O marco está localizado no principal acesso de Foz do Iguaçu à Ponte da Amizade, na fronteira do Brasil com o Paraguai. Ao visitar o local, o presidente deixou uma mensagem grafitada. Ele fez uma figura geométrica representando a Tríplice Fronteira, onde deixou sua assinatura.

O ministro da Educação, Fernando Haddad, deu a aula inaugural da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), em Foz do Iguaçu. No local, ele deixou uma mensagem que, juntamente com 3,5 mil frases escritas pela população, foi lacrada e enterrada na cápsula do tempo da Unila.

O presidente passou por um momento de descontração nesse local, abraçando as crianças e conversando e cantando com elas o hino do Corinthians. A foto que tirou com as crianças, o presidente pediu que fosse enterrada também na cápsula que será aberta somente em 2060, data do cinquentenário da universidade.

    Leia tudo sobre: lulafamíliacriança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG