Lula endossa 'faxina' feita por Dilma na Esplanada

Ex-presidente comenta irregularidades em contratos no Turismo e diz que presidenta faz muito bem em investigar todas as denúncias

iG São Paulo |

Em mais um dia de visita ao Nordeste, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou uma viagem a Pernambuco nesta sexta-feira para endossar a 'faxina' que está sendo comandada pela presidenta Dilma Rousseff na Esplanada dos Ministérios. Lula disse que a presidenta faz "muito bem" em investigar as suspeitas de irregularidades dentro de seu governo.

"Em um governo pouco democrático, você joga isso debaixo do tapete", disse Lula. "Se as pessoas forem inocentes, pede-se desculpas. Se as pessoas forem culpadas, paguem o preço de ter cometido o erro." A afirmação do ex-presidente difere das declarações que costumava dar durante seu governo. Em geral, diante de denúncias de corrupção, Lula costumava pregar a presunção de inocência e alegava que caberia à Justiça investigar qualquer suspeita.

Futurapress
Ex-presidente visitou Pernambuco como parte do giro que reliza no Nordeste nesta semana

No Recife, onde recebeu título de doutor honoris causa por três universidades públicas, Lula comentou especificamente denúncias relacionadas à pasta do Turismo. Os três contratos considerados suspeitos são do Instituto Brasileiro de Hospedagem (IBH) , no valor de R$ 52 milhões. Questionado sobre a denúncia, o ex-presidente disse que "o importante em um governo democrático e transparente é que a Controladoria-Geral da União, a Polícia Federal e o Ministério Público estão aí para investigar".

Lula deu as declarações em companhia do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). O ex-presidente recebeu a homenagem no Teatro Santa Isabel, na Praça da República, pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Universidade de Pernambuco (UPE).

AE
Lula recebeu título de doutor honoris causa na Universidade Federal de Pernambuco
Volta do PR

Durante a visita, Lula também comentou a possibilidade do Partido da República (PR) voltar ao primeiro escalão do governo. Segundo ele, a a investigação está em curso e que "separado o joio do trigo, aqueles que não forem culpados podem voltar". "De qualquer forma, ficou um processo de investigação", disse, ao elogiar a existência de várias instituições de investigação no Brasil, a exemplo da Controladoria Geral da União, o Ministério Público, a Polícia Federal e o Tribunal de Contas da União. "O que não falta é investigação", acrescentou.

O ex-presidente disse que Dilma está fazendo o correto: "A cada denúncia há uma investigação, que está sendo investigada por várias frentes", e acrescentou, "se detectar que as denúncias são verídicas, essas pessoas serão punidas como qualquer pessoa que comete erro nesse País."

Ele fez essas afirmações numa rápida entrevista no início da tarde de hoje ao deixar o teatro Santa Isabel, em Recife, onde recebeu o título de doutor honoris causa concedido por três universidades públicas de Pernambuco. Logo depois, seguiu para almoço organizado pelo PT e aliados e em seguida deve retornar para São Paulo.

*Com informações da Agência Estado

    Leia tudo sobre: crise nos transportesdilma roussefflula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG