Lula diz que gostaria de ter herdado seu próprio governo

Presidente falou para plateia do prêmio Brasileiro do Ano, que fez fila para cumprimentá-lo; em 2002, havia desconfiança

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

Em uma demonstração de falta de modéstia a 15 dias de deixar o poder o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse na noite desta quarta-feira (15) que gostaria de ter herdado o seu próprio governo.

“Quando a Dilma estava falando eu estava aqui dizendo: “puxa vida, como eu gostaria de ter herdado um País para governar depois do governo Lula”, disse o presidente.

Veja o especial do iG sobre o legado de Lula e os desafios de Dilma Rousseff.

A declaração ocorreu na entrega do prêmio Brasileiro do Ano das revistas “Isto É”, “Gente” e “Dinheiro”, da Editora Três. A presidenta eleita, Dilma Rousseff , também participou da premiação que reuniu pela segunda vez os presidentes eleito e em final de mandato. Lula foi premiado como o "brasileiro da década" e sua sucessora Dilma, como a "brasileira do ano".

Elite

Na premiação de 2002 estavam o eleito Lula e o então mandatário Fernando Henrique Cardoso. Naquela época a plateia selecionada, composta por empresários, artistas, esportistas e políticos ainda olhava o petista com desconfiança.

Na noite desta quarta-feira ocorreu o inverso. A elite, desde o megaempresário Eike Batista até a atriz Maitê Proença, fez fila para cumprimentar Lula, que foi alvo de elogios até de quem não acreditava no sucesso de seu governo, como o presidente da Assistência Médica Internacional (Amil), Edson de Godoy Coelho, que verbalizou o sentimento. “Não acreditava no senhor, não votei no senhor, mas a sua vitória foi a melhor coisa da minha vida”.

Parte dos convidados fez um muxoxo de lamentação quando o presidente anunciou que iria ler o discurso, fato raro nestes oito anos de governo.

A premiação de oito anos atrás também marcou a estreia de Lula como vencedor diante de um público que estava longe do estereotipo do militante petista. Na noite desta quarta-feira (15), o presidente mostrou que está à vontade neste meio ao comemorar o fato de os ricos brasileiros continuarem ricos.

“Hoje os pobres estão menos pobres. Apesar que os ricos continuam ricos. Mas isso é bom. Quando me perguntam porque os banqueiros ganharam tanto dinheiro no meu governo eu digo que ainda bem, porque se eles tivessem perdido o governo que iria pagar. Banqueiro não perde dinheiro”, afirmou.

    Leia tudo sobre: lulabrasileiro do ano

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG