Durante Congresso da União Geral dos Trabalhadores, ex-presidente defendeu a candidatura de Fernando Haddad em São Paulo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que, passados quase sete meses do início do governo Dilma Rousseff , pretende voltar a viajar pelo País para defender as causas sociais. "Serei o lobista número 1 das causas sociais e vou voltar a incomodar algumas pessoas outra vez", disse, em discurso no congresso da União Geral dos Trabalhadores (UGT), realizado na capital paulista.

Lula discursou por 20 minutos e fez uma defesa de seus oito anos à frente da Presidência da República. De acordo com o ex-presidente, nenhuma categoria, durante seu governo, ficou sem aumento real de salário. "Não é possível que alguém não tenha tido aumento real no meu governo", afirmou.

Fernando Haddad

Lula também reforçou sua defesa da candidatura do ministro da Educação, Fernando Haddad, à Prefeitura de São Paulo nas eleições de 2012 pelo PT. "Acho que o companheiro Haddad é adequado. Foi ministro da Educação e acho que ele está na disputa interna", disse. Internamente, o ex-presidente tem feito campanha pela confirmação do ministro como o nome do PT para sucessão do prefeito Gilberto Kassab. Além de Haddad, os nomes da senadora Marta Suplicy, e do ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, estão sendo cogitados pelo partido.

Embora tenha grande poder de influência dentro do PT, Lula afirma que quem dará a palavra final sobre a candidatura será a cúpula do partido. "Quem vai decidir são os delegados do PT", afirmou. Ontem, Lula participou, ao lado de Haddad, de um evento da União Nacional dos Estudantes .

Crise nos Transportes

O ex-presidente deixou claro hoje que aprovou a substituição de Alfredo Nascimento no Ministério dos Transportes pelo secretário executivo Paulo Sérgio Passos. "É importante lembrar que o ministro dos Transportes do ano passado era o companheiro que assumiu agora e que entrou em março de 2004", afirmou. Hoje, após reportagem, o governo afastou o diretor-executivo do Dnit .

Ele também afirmou que denúncias devem ser investigadas. "Na medida em que tem uma denúncia, não importa de quando foi a denúncia. O que importa é que elas ( as pessoas envolvidas ) sejam investigadas porque, se a pessoa for inocente, terão de publicar que ela é inocente. Se forem culpadas, pagarão por isso."

Novo site

O ex-presidente lançou nesta sexta-feira o portal do Instituto Cidadania na internet. Em um vídeo publicado no site, gravado na sede do órgão, na zona sul da capital paulista, Lula voltou a criticar a imprensa . No evento da UNE, o ex-presidente afirmou que a mídia "não sai do pé" .

No vídeo divulgado hoje, Lula ironiza o tratamento que a imprensa continua lhe dando mesmo depois de seis meses e 12 dias afastado do governo. "Meus amigos da imprensa continuam falando muito bem de mim. Primeiro, tentaram dizer que a presidenta Dilma era muito diferente de mim, que era outra coisa. Depois, passaram a dizer que era a mesma coisa. Depois não era mais a mesma coisa. Depois era fraca, depois era forte", disse.

(Com Agência Estado )

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.