Em programa semanal do governo, presidente também defendeu a adesão de Chile, Venezuela, Colômbia e Peru ao Mercosul

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva comemorou os números da Pesquisa Mensal de Emprego, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na última semana. Para Lula, os dados mostram que o país está em padrão de “pleno emprego”.

Os números do IBGE mostram que a taxa de desemprego no Brasil está em 5,7%, a menor dos últimos oito anos. Em Porto Alegre, o índice chega a 3,7%. “Eu penso que daqui para a frente deverá continuar aumentando a oferta de emprego no Brasil, e eu penso que, por isso, os números irão diminuir ainda mais com relação ao desemprego”, disse em seu programa semanal de rádio Café com o Presidente.

Apesar dos bons números, Lula pediu cautela e responsabilidade nos gastos de fim de ano. “Que as pessoas aproveitem e comprem o que quiserem comprar, mas com muita responsabilidade para não se endividar, porque o mês de janeiro é sempre muito pesado. Então, é importante que a gente não perca o senso de responsabilidade nas nossas compras”, afirmou. “Comprar, fazer a dívida necessária, mas sabendo que a gente precisa ter um 2011 tranquilo, portanto, não vamos passar 2011 apertado, apenas pagando o que a gente gastou em 2010. Vamos gastar o suficiente para não atropelar a esperança e o futuro de todos nós”, completou.

Mercosul

Lula disse também que, apesar de o Mercosul ser considerado um importante bloco comercial, é preciso que o Chile, a Venezuela, Colômbia e o Peru também se integrem ao bloco. “Para que a gente tivesse, efetivamente, uma região aduaneira muito forte e que pudesse incrementar ainda mais a produção e o consumo entre os países da América do Sul.”

O presidente lembrou que o fluxo de comércio entre os integrantes do Mercosul (Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai) passou de US$ 10 bilhões em 2002 para US$ 86 bilhões em 2008. “Numa demonstração de que nós encontramos o caminho de desenvolver os países do Mercosul, de mostrar que é correto a gente acreditar no potencial de relação comercial, relação política, relação cultural entre nós, e há uma afinidade plena”, disse Lula. “Quando assumi a Presidência, lembro que os países menores achavam que o Mercosul não valia nada, que não valia a pena, que era preciso procurar outro espaço para comercializar. E hoje está todo mundo convencido que o Mercosul é o nosso espaço”, completou.

Para Lula, o bloco é o instrumento para negociar a conclusão da Rodada Doha, “brigando fortemente na Organização Mundial do Comércio (OMC)”, algo que, segundo ele, a presidenta eleita, Dilma Rousseff, vai trabalhar para que se torne realidade.

Ele deixou ainda uma mensagem de Natal para os brasileiros. “É importante a gente cuidar muito da família, ou seja, que a gente tenha um Natal em perfeita harmonia com a família, que a gente junte os pais, os filhos, os parentes para que a gente possa fazer uma confraternização muito forte. E a base da sociedade, na minha opinião, é a família. Se a família estiver bem, o resto vai bem”, afirmou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.