Lula acelera definição sobre destino de Cesare Battisti

Presidente teve reunião com a AGU para acelerar o processo e evitar que a decisão sobre o caso fique para Dilma Rousseff

Flávia D'Angelo, iG São Paulo |

A três dias de deixar o cargo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu acelerar os trâmites sobre a decisão de não extraditar o ativista italiano Cesare Battisti. O presidente, que trabalha para evitar que a decisão final sobre o caso fique para sua sucessora Dilma Rousseff , reuniu-se na manhã de ontem com o advogado-geral da União, Luís Inácio Luceno Adams para acertar os últimos detalhes antes de divulgar seu parecer final.

Embora o presidente tenha dito que a decisão sai até o dia 31, a expectativa que circula dentro do governo é a de que o parecer pode ser anunciado ainda nesta quarta-feira. Lula realiza hoje sua última viagem oficial como presidente, que inclui passagens por Fortaleza e Salvador. Ele só deve retomar as conversas sobre o caso de Battisti à noite, quando retorna a Brasília.

Na reunião que teve com o presidente, Adams entregou um relatório e esclareceu alguns aspectos jurídicos da decisão, conforme havia informado anteriormente o chefe de gabinete da Presidência, Gilberto Carvalho. De acordo com Carvalho, a intenção do esclarecimento é “evitar desdobramentos”.

O militante esquerdista Cesare Battisti foi condenado à prisão perpétua por quatro assassinatos na Itália, seu país natal, na década de 70. A concessão de refúgio, determinada pelo então ministro da Justiça, Tarso Genro, em janeiro de 2009, abriu uma polêmica diplomática entre os dois países que persiste até hoje. Battisti está preso no Rio de Janeiro, aguardando a decisão sobre seu destino.  Em novembro de 2009, o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou a extradição de Battisti, porém definiu que a decisão final cabe ao presidente da República.

    Leia tudo sobre: cesare battistiAGUextradição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG