Lobo é o único líder latinoamericano não convidado para a posse

Presidente hondurenho não recebeu convite porque Brasil não reconhece eleição feita depois de golpe de Estado contra Manuel Zelaya

EFE |

Getty Images
O presidente de Honduras, Porfirio Lobo, que assumiu depois da crise com o ex-líder Manuel Zelaya
O hondurenho Porfirio Lobo é o único chefe de Estado da América Latina que não foi convidado aos atos de posse da presidente eleita Dilma Rousseff , pois o Brasil não o reconhece como "presidente legítimo", confirmaram nesta quinta-feira fontes oficiais.

"Não foi convidado porque simplesmente não é reconhecido como presidente pelo Governo brasileiro", disse à agência EFE um porta-voz da chancelaria, quem acrescentou que os demais dos governantes da região receberam convites.

O Brasil congelou suas relações diplomáticas com Honduras em 28 de junho de 2009, imediatamente após o golpe de Estado contra o então presidente, Manuel Zelaya, quem abrigou em sua embaixada em Tegucigalpa durante três meses.

Zelaya deixou Honduras em 27 de janeiro, mesmo dia da posse de Lobo, e desde então reside na República Dominicana como "hóspede". O ex-líder é acusado de abuso de autoridade e outros delitos vinculados aos atos de corrupção, o qual sustenta que faz parte de uma "perseguição política" que impede retornar a Honduras.

Condições

O governo brasileiro, que desconheceu tanto o processo eleitoral que levou à vitória de Porfirio Lobo quanto a legitimidade do atual líder hondurenho, disse que só poderá normalizar suas relações com Honduras uma vez que Zelaya retorne a seu país com "garantias plenas" que não haverá "ameaças a sua liberdade".

Além disso, Brasil é um dos países que mantém sua oposição à readmissão de Honduras na Organização dos Estados Americanos (OEA) e chegou a condicionar sua participação em diversas cúpulas regionais a que Lobo não fosse convidado.

    Leia tudo sobre: hondurasporfirio lobobrasildilma rousseff

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG